PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Ciclone Tauktae se aproxima da Índia em plena crise da covid-19

Trabalhadores ajudam pessoas a atravessar uma rua inundada após chuvas causadas pelo ciclone Tauktae em Mumbai, Índia - REUTERS / Francis Mascarenhas
Trabalhadores ajudam pessoas a atravessar uma rua inundada após chuvas causadas pelo ciclone Tauktae em Mumbai, Índia Imagem: REUTERS / Francis Mascarenhas

Da AFP, em Ahmedabad (Índia)

17/05/2021 09h24

O ciclone Tauktae se aproxima nesta segunda-feira da Índia, acompanhado por ventos fortes e chuvas torrenciais, no momento em que o país luta contra uma onda devastadora de contágios da covid-19.

Ao menos seis pessoas morreram no fim de semana quando Tauktae, a maior tempestade que afetará a região oeste da Índia em 30 anos, segundo a imprensa local, atravessou o Mar Arábico na direção do estado de Gujarat.

A "tempestade ciclônica extremamente grave" deve tocar o solo nesta segunda-feira entre 20h00 e 23h00 locais (11h30 e 14h30 no Horário de Brasília) acompanhada de ventos de 155 a 165 quilômetros por hora, com rajadas que podem alcançar 185 km/h, advertiu o departamento meteorológico indiano.

O ciclone Tauktae atingirá a Índia no momento em que o país enfrenta uma terrível segunda onda de coronavírus, com mais de 4 mil mortes diárias. Os hospitais estão em colapso, os profissionais da saúde à beira da exaustão o sistema enfrenta a falta de oxigênio e medicamentos.

Em Mumbai (oeste), capital do estado de Maharashtra, já registram inundações. As autoridades fecharam nesta segunda-feira o aeroporto durante várias horas e pediram que a população permaneça em áreas protegidas. No domingo, 580 pacientes com covid-19 foram transferidos de hospitais de campanha para "locais mais seguros".

Em Gujarat (noroeste), mais de 100 mil pessoas abandonaram 17 distritos na madrugada de segunda-feira. Os pacientes de covid-19 hospitalizados em clínicas localizadas a cinco quilômetros da costa também foram transferidos.

As autoridades desta região lutam para evitar os cortes de energia elétrica nos quase 400 hospitais e 41 fábricas de oxigênio dos 12 distritos da costa que devem ser atingidos com mais força pelo ciclone.

"Instalamos 1.383 geradores para ter certeza de que os hospitais que travam a covid não enfrentarão cortes de energia elétrica", afirmou um alto funcionário do governo regional, Pankaj Kumar.

Também foram criados 35 "corredores verdes" para permitir o abastecimento de oxigênio nos hospitais. Os protocolos de combate ao vírus, como o uso de máscara, distanciamento físico e uso de produtos de limpeza, serão respeitados nos abrigos, segundo as autoridades.

O estado de Gujarat, que registra oficialmente 9 mil mortes por covid — um balanço que provavelmente representa uma subnotificação dos números reais, como no restante do país, segundo os especialistas —, suspendeu por dois dias a campanha de vacinação. Mumbai fez o mesmo por um dia.

O país de 1,3 bilhão de habitantes registrou nesta segunda-feira 4.100 mortes e quase 280 mil novos casos nas últimas 24 horas, o que eleva o total de vítimas fatais por covid-19 a mais de 250 mil e o de infectados a quase 25 milhões.

Socorristas convocados

As autoridades mobilizaram milhares de socorristas para enfrentar a primeira grande tempestade tropical da temporada e colocaram em alerta unidades da Guarda Costeira, da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, informou o ministro do Interior, Amit Shah, em um comunicado.

Quatro pessoas morreram no sábado vítimas das chuvas torrenciais e dos ventos no estado de Karnataka (sudoeste), segundo a agência de gestão de emergências.

Duas pessoas também morreram no estado turístico de Goa, informou no domingo o chefe de Governo local, Pramod Sawant.

De acordo com a imprensa local, outras duas pessoas morreram e 23 pescadores estão desaparecidos no estado vizinho de Kerala (sul).

Em maio de 2020, também durante a pandemia de covid-19, mais de 100 pessoas morreram durante a passagem do ciclone Amphan, que devastou o leste da Índia e Bangladesh.

Internacional