PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Presidente de Israel recebe terceira dose de vacina contra covid-19

O presidente de Israel Isaac Herzog recebe terceira dose da vacina da Pfizer/BioNTech contra covid-19 - Maya Alleruzzo/Pool/AFP
O presidente de Israel Isaac Herzog recebe terceira dose da vacina da Pfizer/BioNTech contra covid-19 Imagem: Maya Alleruzzo/Pool/AFP

Em Ramat Gan (Israel)

30/07/2021 06h43

O presidente israelense, Isaac Herzog, recebeu uma terceira dose da vacina contra covid-19 hoje, no lançamento de uma campanha em seu país para continuar imunizando pessoas a partir dos 60 anos.

"Começamos a campanha de reforço da vacinação", declarou o presidente Herzog, que recebeu sua terceira dose do medicamento da Pfizer/BioNTech no Hospital Sheba, localizado nos subúrbios de Tel Aviv.

Em meados de julho, Israel autorizou a administração de uma terceira dose da vacina para pessoas com imunodepressão grave, ou seja, aquelas cujo sistema imunológico debilitado as torna particularmente vulneráveis ao vírus.

Diante de um recente aumento dos casos de covid-19, o primeiro-ministro Naftali Bennett anunciou uma campanha para injetar uma terceira dose em pessoas com 60 anos, ou mais.

"Israel é o pioneiro, tomando a dianteira com uma terceira dose da vacina para pessoas com 60 anos e mais", disse Bennett, de 49, que acompanhou o presidente Herzog ao hospital hoje.

"A única maneira de vencer a covid é agirmos juntos. Juntos significa compartilhar informações, métodos, conselhos, etapas práticas. O Estado de Israel está aberto a compartilhar todas as informações que obterá desta medida audaciosa", acrescentou.

De acordo com a Pfizer, que produz a vacina mais usada em Israel, "novos estudos mostram que uma terceira dose tem efeitos neutralizadores contra a variante delta, [que são] cinco vezes mais elevados entre os jovens e mais de 11 vezes entre os mais velhos".

Por enquanto, no entanto, a agência responsável pelo setor de medicamentos e alimentos nos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês), cujas recomendações são, em geral, seguidas por Israel, não deu sinal verde para a injeção de uma terceira dose.

Coronavírus