PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Itália registra protestos e confrontos contra passaporte sanitário

18.out.2021 - Pessoas se manifestam na Piazza Unita d"Italia enquanto a tropa de choque tenta dispersar o protesto que ocorre há vários dias contra a implementação do passe de saúde para covid no local de trabalho, em Trieste, Itália - Borut Zivulovic/Reuters
18.out.2021 - Pessoas se manifestam na Piazza Unita d'Italia enquanto a tropa de choque tenta dispersar o protesto que ocorre há vários dias contra a implementação do passe de saúde para covid no local de trabalho, em Trieste, Itália Imagem: Borut Zivulovic/Reuters

Em Roma

18/10/2021 11h03

A polícia usou canhões de água e gás lacrimogêneo hoje em Trieste, importante porto no nordeste da Itália, contra um grupo de manifestantes que protestava contra o passaporte sanitário obrigatório nos locais de trabalho.

Dezenas de policiais antidistúrbios e manifestantes se enfrentaram, entre eles grupos de trabalhadores portuários, que desde sexta-feira bloqueiam uma das entradas do porto devido à vigência do passaporte sanitário nos locais de trabalho.

"Liberdade, liberdade", cantavam, enquanto outros gritavam "Não somos violentos, abaiem seus escudos!".

A polícia conseguiu dispersar a entrada no porto depois de várias horas e afastou os manifestantes para um estacionamento próximo.

Os trabalhadores portuários convocaram uma greve na sexta-feira, apesar de a empresa que administra o porto, um dos mais estratégicos do país, oferecer gratuitamente a possibilidade de realizar testes de covid.

O movimento de Trieste atraiu centenas de pessoas de outras cidades, que marcharam até a praça central para protestar contra a medida.

Segundo a lei adotada pelo governo de coalizão liderado por Mario Draghi, todo funcionário que não estiver vacinado, exceto aqueles que tiveram covid recentemente, devem apresentar na entrada de seus locais de trabalho um teste negativo de coronavírus. Em caso contrário, pode ser declarado ausente e ser privado de seu salário.

Cerca de três milhões - entre mais de 23 milhões de trabalhadores - não se vacinaram e correm o risco de ter o acesso aos seus locais de trabalho negado.

Para incentivar a vacinação, o governo anunciou há um mês, com o apoio dos partidos da coalizão, a obrigação de apresentar o passaporte covid.

Internacional