PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Capturado na Jamaica ex-militar colombiano envolvido no assassinato de Moise no Haiti

Três meses após o assassinato do presidente Jovenel Moise no Haiti, ainda pairam dúvidas sobre os patrocinadores do ataque - Reuters
Três meses após o assassinato do presidente Jovenel Moise no Haiti, ainda pairam dúvidas sobre os patrocinadores do ataque Imagem: Reuters

22/10/2021 18h46

Bogotá, 22 Out 2021 (AFP) - Um ex-militar colombiano procurado pela justiça haitiana pelo assassinato do presidente Jovenel Moise foi capturado na Jamaica, informaram as autoridades colombianas nesta sexta-feira (22).

"Já fomos notificados da prisão do senhor (Mario) Palacios. O que vem agora (...) são os procedimentos de extradição para o Haiti", explicou o diretor da polícia colombiana, general Jorge Vargas, em vídeo, citando como uma fonte o escritório da Interpol em Kingston, Jamaica.

O oficial não entrou em detalhes sobre o caso, nem explicou como o ex-militar teria conseguido escapar do Haiti para a ilha caribenha da Jamaica, localizada a 200 quilômetros de distância. Ele também não especificou a data da prisão.

Palacios era procurado pela Interpol por supostamente fazer parte do comando armado formado por uma dezena de mercenários que assassinaram o presidente do Haiti, Jovenel Moise, em 7 de julho em sua residência.

Outros 18 ex-militares colombianos e dois haitianos americanos que faziam parte do comando foram presos em Porto Príncipe como parte da investigação do assassinato, no qual a esposa do presidente, Martine Moise, também ficou gravemente ferida.

Os ex-soldados foram contratados pela empresa CTU Security, com sede em Miami. Segundo eles, a missão era capturar e entregar Moise à autoridade antinarcóticos dos Estados Unidos.

Três meses após o assassinato do presidente, ainda pairam dúvidas sobre os patrocinadores do ataque.

Internacional