PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Israel prende um dos homens que carregou caixão de jornalista da Al Jazeera

Guarda palestina carrega o corpo da jornalista Shireen Abu Akleh em Jerusalém.  - Foto: ABBAS MOMANI / AFP
Guarda palestina carrega o corpo da jornalista Shireen Abu Akleh em Jerusalém. Imagem: Foto: ABBAS MOMANI / AFP

AFP, Jerusalém

19/05/2022 08h28

Israel prendeu um dos homens que carregou o caixão da jornalista da Al Jazeera que foi morta na semana passada ao ser atingida por um tiro na Cisjordânia, informou a polícia, que, no entanto, negou a alegação do advogado de que a detenção está vinculada a seu papel no funeral.

No funeral de sexta-feira, o caixão da repórter Shireen Abu Akleh quase caiu no chão durante uma operação das forças de segurança israelenses, o que gerou uma onda de indignação internacional.

Abu Akleh morreu ao ser atingida por um tiro na cabeça quando cobria uma operação militar israelense no campo de refugiados de Jenin, na Cisjordânia ocupada.

O advogado do palestino detido nesta quinta-feira, Amro Abu Khudeir, afirmou à AFP que o cliente foi preso por seu papel no funeral.

O advogado Khaldoun Najm disse que Israel alega ter informações sobre o fato de Khudeir integrar uma organização terrorista.

"As autoridades israelenses vão prender mais pessoas que participaram no funeral", acrescentou o advogado.

A polícia israelense negou qualquer relação entre o funeral e a detenção de Amro Abu Khudeir.

"Assistimos a uma tentativa de gerar uma teoria da conspiração que é fundamentalmente equivocada", afirmou a polícia em um comunicado.

A polícia israelense, que ordenou uma investigação sobre os incidentes ocorridos no funeral de Abu Akleh, justificou a intervenção pela presença do que chamou de "agitadores" no cortejo fúnebre, além do lançamento de projéteis contra as forças de segurança.

Internacional