PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Ataques a tiros deixam 11 mortos em bares e em hotel no México

Policiais passaram o dia patrulhando a área externa de locais alvos de ataques a tiros, em Celaya - Mario Armas/AFP
Policiais passaram o dia patrulhando a área externa de locais alvos de ataques a tiros, em Celaya Imagem: Mario Armas/AFP

Em Celaya (México)

24/05/2022 19h17Atualizada em 24/05/2022 19h18

Oito mulheres e três homens foram assassinados em um ataque a tiros contra dois bares e um hotel na cidade de Celaya, no estado mexicano de Guanajuato, informaram hoje autoridades regionais.

O ataque ocorreu por volta das 22h00 locais de segunda-feira (00h00 de hoje no horário de Brasília) em uma área onde, segundo autoridades, é comum a venda de drogas no varejo.

"As pessoas falecidas, oito do sexo feminino e três do sexo masculino, de várias idades, apresentam ferimentos causados por impactos de armas de fogo", detalhou um comunicado do Ministério Público. Um balanço anterior se referia a dez mortes.

Dez das vítimas morreram no local, enquanto uma mulher ferida morreu enquanto era levada para um hospital, acrescentou o Ministério Público. Um homem segue hospitalizado.

Os cadáveres foram deixados entre as mesas e cadeiras de plástico de ambos os locais, um deles ao lado de um hotel.

No local, foi encontrada uma mensagem escrita em papel, na qual um suposto grupo criminoso reivindica a autoria do ataque e afirma que se trata de vingança contra outra quadrilha.

"É uma questão de rivalidade criminosa. Não é um ataque aberto à população", disse Sophia Huett, secretária de Segurança de Guanajuato, ao canal mexicano Milenio, especificando que o motivo seria vingar o assassinato de um suposto criminoso.

O massacre ocorreu em um setor da periferia de Celaya, onde as autoridades detectaram atividades criminosas.

"Não é exatamente um bar na área comercial ou turística. Está localizado em uma colônia (bairro) com histórico de constantes detenções de pessoas ligadas ao tráfico de drogas e homicídios", acrescentou Huett.

Testemunhas relataram que pessoas armadas entraram nos estabelecimentos, abriram fogo e depois derramaram gasolina para tentar incendiar as instalações.

Guanajuato, um próspero centro industrial por onde passa uma importante rede de oleodutos e opera uma refinaria, tornou-se um dos estados mais violentos do México devido à disputa entre os cartéis Santa Rosa de Lima e Jalisco Nova Geração.

As quadrilhas lutam para controlar o tráfico de drogas e de combustível roubado, entre outros crimes.

Desde dezembro de 2006, quando o governo lançou uma polêmica operação militar antidrogas, o México registrou mais de 340 mil assassinatos, a maioria atribuído pelas autoridades a confrontos entre organizações criminosas.

Internacional