Cruz é colocada novamente no topo da catedral de Notre-Dame, em Paris

A catedral de Notre-Dame, em Paris, recuperou sua cruz, que foi colocada no topo de sua agulha nesta quarta-feira (6), observaram jornalistas da AFP nos arredores do templo, atingido por um incêndio em 2019.

Um guindaste ergueu a cruz e a colocou no topo da agulha da construção pouco depois das 15h00 (11h00 em Brasília).

A instalação ocorre dois dias antes da visita do presidente francês, Emmanuel Macron, ao local, exatamente um ano antes de sua reabertura para missas, prevista para oito de dezembro de 2024.

A agulha, idêntica à anterior, desenhada pelo arquiteto Eugène Viollet-le-Duc no século XIX e que desabou no incêndio, podia ser observada através dos andaimes desde o final de novembro.

Segundo a Presidência francesa, ela "foi montada (...) a partir de desenhos de Viollet-Le-Duc. Trata-se de uma montagem extremamente especializada em madeira, revestida com uma camada de chumbo e acabada, no topo, por uma coroa, um galo e uma cruz de 96 metros" de altura.

Nesta quarta-feira, o galo ainda não estava visível acima da cruz. "Ainda não foi recolocado" no seu lugar, indicou o Palácio do Eliseu, especificando que o item será "abençoado" segundo a tradição católica "nos próximos dias, em uma cerimônia" que acontecerá à margem da visita do chefe de Estado para a próxima sexta-feira.

"É um galo novo", informou a fonte, explicando que o antigo, que não pôde ser recuperado após o incêndio, será "exposto" em um futuro museu.

Na semana passada, Philippe Jost, responsável pela reconstrução da catedral gótica, erguida entre os séculos XII e XIV, sinalizou que assim que o pináculo atingisse os 96 metros, seria "coberto de chumbo".

kp/pel/gvy/jvb/mb/yr

Continua após a publicidade

© Agence France-Presse

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora