Conteúdo publicado há 23 dias

Quais as repercussões do veredicto de culpado de Trump nas eleições dos EUA?

Um júri de 12 nova-iorquinos foi unânime em decidir que o ex-presidente americano Donald Trump é culpado das acusações atribuídas a ele por falsificação de registros contábeis para ocultar o pagamento a uma ex-atriz pornô para comprar seu silêncio. Mas o impacto em suas perspectivas eleitorais ainda está por definir.

O bilionário republicano, que foi considerado culpado das 34 acusações contra ele nesta quinta-feira (30), em Nova York, está imerso na corrida para conseguir um segundo mandato presidencial. O veredicto, de fato, não o impede de se candidatar.

Este caso, que polarizou ainda mais os Estados Unidos, gerou meses de cobertura televisiva e denúncias inflamadas de apoiadores dos dois lados, mas o público em geral, analistas e institutos de pesquisas esperam que a reação seja de apatia coletiva.

"Vivemos em um sistema suprapartidário no qual os eleitores se concentram no que se denomina de partidarismo negativo: votam contra o candidato de quem menos gostam, não a favor de um candidato ao qual apoiam", avaliou o cientista político Nicholas Higgins.

"Levando isto em conta - e sobretudo porque as acusações já são conhecidas e o lado de Trump as enquadram como um ataque político -, poucos eleitores vão se convencer de que sua visão prévia de Trump era equivocada porque o júri o declarou culpado", afirmou.

Trump, que fará 78 anos em junho, é o primeiro ex-presidente americano declarado culpado criminalmente e o primeiro condenado candidato de um grande partido político, o que dá aos democratas material abundante para atacá-lo às vésperas da revanche nas eleições de novembro contra o presidente Joe Biden.

Ficou comprovado que o republicano tinha falsificado registros contábeis para ocultar, antes das eleições de 2016, um pagamento à ex-atriz pornô Stormy Daniels em troca de seu silêncio sobre um encontro sexual que ela alega que ambos tiveram.

A sentença será definida em 11 de julho, quatro dias antes das convenção do Partido Republicano, na qual se espera que Trump seja anunciado oficialmente como candidato à Presidência.

"Grande diferença"

Os resultados das pesquisas sobre o bilionário permaneceram estáveis durante todo o julgamento, e ele se mantém ombro a ombro com Biden nas pesquisas nacionais, enquanto o democrata tem uma pequena vantagem na maioria dos principais estados-pêndulo, assim chamados porque ora se inclinam por um candidato democrata, ora por um republicano.

Continua após a publicidade

Dois terços dos entrevistados na última consulta do instituto de pesquisas Marist asseguraram que uma condenação não influenciaria seu voto, enquanto o restante se dividiu quase por igual sobre se os tornaria mais ou menos propensos em apoiar Trump.

Higgins, diretor do Departamento de Ciências Políticas da Universidade de North Greenville, na Carolina do Sul, espera que cerca de 1% dos eleitores passem da opção por Trump para a de um candidato de um terceiro partido ou que não votem.

"Mas não cabe esperar que ocorra nenhuma mudança a favor de Biden por causa desta decisão", antecipou.

Outros analistas afirmam, no entanto, que inclusive um declínio marginal no percentual de apoio a Trump poderia afetar as eleições, que se espera que sejam definidas em seis ou sete estados disputados.

"Dado que as eleições vão se decidir por alguns poucos milhares de votos nestes estados, uma condenação sem dúvida prejudicará Trump", avaliou Donald Nieman, analista político e professor de história na Universidade de Binghamton, no estado de Nova York.

Jared Carter, professor da Faculdade de Direito e Pós-graduação de Vermont, disse que, embora o impacto da sentença seria pequeno, poderia inclusive incentivar o núcleo de Trump, ao mesmo tempo em que afastaria os independentes.

Continua após a publicidade

"E quando se está falando de uma eleição disputada em poucos estados indecisos, estes eleitores independentes, talvez os republicanos moderados, fazem grande diferença", disse à AFP.

"Fundamental em novembro"

Ray Brescia, decano associado de investigação da Faculdade de Direito de Albany, disse que a decisão desta quinta-feira tem um significado especial como o único veredicto provável nos diversos casos judiciais que Trump enfrenta antes das eleições.

"É difícil dizer com exatidão quantos eleitores vão se distanciar realmente de Trump. Mas até mesmo uma mudança pequena poderia ter enormes consequências", avaliou, em declarações à AFP.

Quando a YouGov/Yahoo News perguntou aos americanos como se sentiam no começo de maio sobre este julgamento, 31% disseram que não se interessavam, enquanto 26% se mostraram interessados.

Para o cientista político Nicholas Creel, da Georgia College and State University, uma sentença provavelmente romperia com esta apatia e prejudicaria as chances de Trump.

Continua após a publicidade

"Qualquer coisa que tenha um efeito mensurável no apoio de qualquer um dos candidatos poderia ser fundamental em novembro", acrescentou.

Deixe seu comentário

Só para assinantes