Juiz adia depoimento de Lula em ação sobre compra de silêncio de Cerveró

André Richter

Da Agência Brasil

  • Nelson Almeida/AFP

    Defesa de Lula pediu o adiamento do depoimento em razão da morte de Marisa Letícia

    Defesa de Lula pediu o adiamento do depoimento em razão da morte de Marisa Letícia

O juiz federal Ricardo Augusto Soares, da 10ª Vara Federal em Brasília, decidiu nesta quarta-feira (8) adiar para 14 de março o interrogatório do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em um dos processos oriundos da Operação Lava Jato. O depoimento estava marcado para 17 de fevereiro, mas o juiz atendeu ao pedido dos advogados de Lula para adiar a oitiva em função do luto pela morte da ex-primeira dama Marisa Letícia.

Neste mês, Lula seria interrogado na ação penal na qual é acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de atuar "na compra do silêncio" do ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró, a fim de evitar que ele assinasse acordo de delação premiada com a força-tarefa de investigadores da Lava Jato. As afirmações estão na delação premiada do ex-senador Delcídio do Amaral.

Segundo a defesa de Lula, as 11 testemunhas que já foram ouvidas no caso, além do próprio Cerveró, não confirmaram as acusações do MPF. De acordo com os advogados, as citações de Delcídio "não passam de ficção".

Moro

Em outra ação penal da Lava Jato, que tramita na 13ª Vara Federal em Curitiba, o juiz federal Sérgio Moro negou pedido da defesa de Lula para adiar depoimentos de testemunhas. Embora tenha reconhecido que a morte de Marisa Letícia foi um "trágico e lamentável acontecimento", Moro afirmou que Lula já foi dispensado de comparecer às audiências.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos