Secretário da Casa Civil do Rio é denunciado por peculato

Akemi Nitahara - Repórter da Agência Brasil

O secretário-chefe da Casa Civil do Governo do Estado do Rio de Janeiro, Christino Áureo da Silva, e sua ex-mulher Claudia Cataldi, foram denunciados pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) por irregularidades quando ocupava o cargo de secretário estadual de Agricultura, nos governos de Rosinha Garotinho e Sérgio Cabral.

A ação foi proposta pela Subprocuradoria-Geral de Justiça de Assuntos Criminais e de Direitos Humanos, em razão do foro privilegiado do secretário. De acordo com a denúncia, Áureo teria nomeado funcionários para cargos em comissão na secretaria, mas exerciam atividades domésticas para ele ou na Organização Não Governamental (ONG) Responsa Habilidade, presidida por Claudia.

Entre os nomeados está Neusa Silva de Oliveira, que trabalhava como empregada doméstica para o casal, e Hélio Ricardo, motorista particular dos dois. Outra funcionária nomeada para a secretaria, Rita de Luzié, trabalhava exclusivamente na ONG e, segundo a ação, recebia R$ 3 mil pelo cargo mas ficava com R$ 1.200. O restante era repassado para Carla da Silva Santos, pessoa de confiança de Cláudia e que também foi denunciada.

Claudia e Carla foram acusadas pelos crimes de concussão (vantagem indevida) e Áureo por peculato (desvio de dinheiro público). Segundo os cálculos do MPRJ, o prejuízo para os cofres públicos foi de R$ 192 mil.

Em nota enviada pelo advogado Sérgio Riera, o secretário afirmou que é inocente e vai esclarecer tudo na Justiça. Ele esclarece que "recebeu com tranquilidade a decisão do Órgão Especial no último dia de 11 de dezembro - de todo corriqueira na fase inicial do processo e comum em hipóteses semelhantes - a qual será devida e oportunamente combatida". Ainda na nota, Christino reitera sua inocência. "Esclareça-se, no ponto, que o próprio Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro já decidiu quando do julgamento da descabida acusação de improbidade pelos mesmos fatos, inexistir justa causa, arquivando, de pronto, a ação proposta pelo Ministério Público. Christino Áureo permanece à disposição da Justiça, nela sempre depositando confiança e respeito", diz a nota.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos