Seca faz rio Acre atingir o menor nível da história em Rio Branco

Em Rio Branco

O rio Acre atingiu a menor cota da história em Rio Branco: 1,49 metro. Os técnicos do Depasa (Departamento Estadual da Pavimentação e Saneamento) calculavam que a marca atingida nesta sexta-feira (29) seria registrada somente na segunda quinzena de agosto.

"Nós não temos plano B para abastecer rio Branco", constatou o diretor do Depasa, Edvaldo Magalhães, referindo-se ao fato de que o Rio Acre é a única fonte de captação de água para uma população da capital, estimada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em 370,5 mil habitantes. "Mas ainda não estamos com racionamento", reiterou.

O Depasa antecipou o plano de contingenciamento elaborado para suportar o período de seca. Atualmente, a capacidade de produção de água está 20% menor.

Quatro bombas flutuantes foram instaladas na ETA 2 e mais duas bombas flutuantes na ETA 1 e o Depasa já comprou mais três bombas e outras duas flutuantes.

"Trabalhadores já realizam escavamento no leito do rio para tentar melhorar a possibilidade de captação", pontuou Magalhães. "Se baixar de um metro, teremos que fazer intervenções maiores."

Nas últimas semanas, o rio Acre baixou por volta de quatro centímetros por dia. A estiagem já impacta o escoamento da produção dos ribeirinhos.

O governo do Acre decretou situação de emergência no início do mês, ainda não reconhecido pelo governo federal.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos