PUBLICIDADE
Topo

Justiça condena João de Deus a mais 40 anos de prisão

Médium foi acusado de estuprar cinco mulheres durante atendimentos espirituais na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO) - Walterson Rosa/Folhapress
Médium foi acusado de estuprar cinco mulheres durante atendimentos espirituais na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO) Imagem: Walterson Rosa/Folhapress

Luiz Vassallo

20/01/2020 19h00

O médium João Teixeira de Faria, conhecido popularmente como João de Deus, foi condenado a 40 anos de reclusão em regime fechado por estupros cometidos contra cinco mulheres durante atendimentos espirituais na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO). A sentença é da juíza da comarca, Rosângela Rodrigues dos Santos.

O processo está em segredo de Justiça. Essa é a terceira condenação do acusado, cujas penas já somam 63 anos e quatro meses de reclusão.

Para calcular a pena, a juíza considerou a idade do réu, que está com 77 anos. O atenuante, porém, foi compensado pelo fato de a violência sexual ter sido cometida em razão do ofício, alicerçado na fé das vítimas.

O médium está preso desde o dia 16 de dezembro de 2018 e ainda responde por outras nove acusações de crimes sexuais. Em julho de 2019, João de Deus prestou depoimento pela primeira vez à Justiça sobre as denúncias de abuso sexual e negou as acusações e disse que nunca praticou abusos contra mulheres.

As informações foram divulgadas pelo site do Tribunal de Justiça de Goiás.

Condenações

A primeira condenação de João de Deus por estupro aconteceu logo depois de a prisão completar um ano, no dia 19 de dezembro. Na ocasião, o médium foi condenado a 19 anos e quatro meses de reclusão por quatro estupros.

Ele já havia sido sentenciado a quatro anos por posse ilegal de arma de fogo e ainda deve ser julgado por corrupção e por falsidade ideológica.

*Com Agência Brasil

Cotidiano