PUBLICIDADE
Topo

Governo federal avalia desobrigar escolas a cumprirem 200 dias letivos

18.mar.2020 - O presidente Jair Bolsonaro, ao lado de vários ministros, durante coletiva de imprensa para falar sobre medidas do governo pra contar a epidemia de Coronavírus, no Palácio do Planalto. Ao lado dele os ministros da Saúde, Luiz Henrique Mandetta e da economia, Paulo Guedes. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress, PODER) - Pedro Ladeira/Folhapress
18.mar.2020 - O presidente Jair Bolsonaro, ao lado de vários ministros, durante coletiva de imprensa para falar sobre medidas do governo pra contar a epidemia de Coronavírus, no Palácio do Planalto. Ao lado dele os ministros da Saúde, Luiz Henrique Mandetta e da economia, Paulo Guedes. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress, PODER) Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress

Jussara Soares e Mateus Vargas

Brasília

31/03/2020 08h45

O governo federal avalia editar uma medida provisória para desobrigar as escolas a cumprirem 200 dias letivos em 2020. A medida seria forma de amenizar impactos pela pandemia do novo coronavírus, permitindo contornar determinações da Lei de Diretrizes e Bases (LDB).

Segundo o Estadão/Broadcast apurou, o texto manteria a obrigação de 800 horas de aula no ano, mas abriria margem para que a carga horária seja abatida em número menor de dias. Ou seja, a ideia é levar as unidades de ensino a aumentarem as horas de aulas diárias para "vencer" o calendário escolar.

A medida valeria para ensino fundamental e médio de escolas privadas e públicas. A orientação do Ministério da Saúde é que locais com transmissão comunitária da covid-19 antecipem férias escolares ou usem ferramentas de ensino a distância. As aulas já estão suspensas em boa parte das unidades de ensino.

Procurado pela reportagem, o Ministério da Educação informou que, por enquanto, não há nada definido sobre a flexibilização do cumprimento dos 200 dias letivos. O tema segue em discussão com secretarias de Educação.

Coronavírus