PUBLICIDADE
Topo

Rio muda critério e mortes por covid serão consideradas a partir de sepultamentos

Pacientes que foram diagnosticados com o novo coronavírus e estão internados no Hospital Estadual Anchieta, no bairro do Caju, na zona portuária do Rio de Janeiro, realizam exame de tomografia na unidade móvel que foi instalada no pátio do hospital - WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO
Pacientes que foram diagnosticados com o novo coronavírus e estão internados no Hospital Estadual Anchieta, no bairro do Caju, na zona portuária do Rio de Janeiro, realizam exame de tomografia na unidade móvel que foi instalada no pátio do hospital Imagem: WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO

Marcio Dolzan

Rio

25/05/2020 13h34

A prefeitura do Rio anunciou que está mudando a forma como são contabilizados o número de mortes por covid-19 na cidade. A partir de agora, serão considerados os números diários de sepultamentos - o que, na avaliação da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), dá uma noção mais precisa das consequências da pandemia.

"O que a gente está buscando é uma estratégia de números mais precisos dia a dia", afirmou a secretária Ana Beatriz Busch, nesta segunda-feira, 25.

Segundo ela, a metodologia anterior fazia com que as informações de óbitos chegassem com até dois meses de atraso. "O cartório emite dois documentos: uma guia de autorização de sepultamento e uma certidão de óbito. Isso vai para as secretarias de Saúde. Só que esse dado pode levar até 60 dias. O dado que a gente vai passar a informar é quantas pessoas são sepultadas por dia", explicou.

Segundo a secretária, a decisão não terá impacto nos dados oficiais e que já foram divulgados. "A gente não vai construir dois números, ele vai fazer parte de um número maior." Oficialmente, o Rio tinha 2.755 mortos por covid-19 até o domingo.

Coronavírus