PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Queiroga: Ministério buscará aplicar doses da Janssen antes de perda da validade

Ministro Saúde, Marcelo Queiroga, na CPI da Covid - Jefferson Rudy/Agência Senado
Ministro Saúde, Marcelo Queiroga, na CPI da Covid Imagem: Jefferson Rudy/Agência Senado

Pedro Caramuru e Daniel Weterman

Brasília e São Paulo

08/06/2021 18h50Atualizada em 08/06/2021 20h24

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse ser verdadeira a informação de que 3 milhões de doses da vacina Janssen, contra o novo coronavírus, chegam ao Brasil próximo ao prazo final de validade. Os imunizantes devem chegar ao país na quinta-feira (10), e, segundo o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), o prazo de validade se estende até o dia 27 de junho.

"É um prazo mais curto. Isso foi pactuado com o Programa Nacional de Imunização, com Conselho Nacional de Secretários de Saúde Conass e Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde Conasems, e entendemos que temos que fazer uma estratégia para aplicar essas 3 milhões de doses num prazo muito rápido para não correr o risco de vencer vacinas", afirmou o ministro durante depoimento à CPI.

Segundo as recomendações do fabricante, o imunizante não depende de dose de reforço, sendo necessária uma única aplicação para a imunização. Queiroga reforçou que a importação das vacinas depende de liberação do órgão regulador americano.

"Naturalmente que se tardar o posicionamento do FDA, essas 3 milhões de doses podem não ser mais úteis para nós, por conta da exiguidade de prazo", reforçou Queiroga.

A CPI da Covid foi criada no Senado após determinação do Supremo. A comissão, formada por 11 senadores (maioria é independente ou de oposição), investiga ações e omissões do governo Bolsonaro na pandemia do coronavírus e repasses federais a estados e municípios. Tem prazo inicial (prorrogável) de 90 dias. Seu relatório final será enviado ao Ministério Público para eventuais criminalizações.