PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
4 meses

Gilmar afirma que 'apagão' de dados 'inviabiliza' enfrentamento da pandemia

O ministro Gilmar Mendes, em julgamento da 2ª Turma - Foto: Fellipe Sampaio /SCO/STF
O ministro Gilmar Mendes, em julgamento da 2ª Turma Imagem: Foto: Fellipe Sampaio /SCO/STF

Do Estadão Conteúdo, em São Paulo

10/01/2022 22h14

O ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), criticou nesta segunda-feira (10) a instabilidade nos sistemas do Ministério da Saúde. Desde que foi alvo de um ataque hacker, em dezembro, a plataforma que recebe dados epidemiológicos da covid-19 de Estados de municípios não foi totalmente restabelecida. O 'apagão' ocorreu em meio ao avanço da variante ômicron no Brasil e do surto de influenza H3N2.

Nas redes sociais, o ministro disse que o assunto deve ser 'tratado como prioridade' e que a falta de dados consolidados sobre o avanço do novo coronavírus 'inviabiliza' o enfrentamento da pandemia.

"O restabelecimento dos sistemas de atualização dos boletins epidemiológicos deve ser tratado como prioridade. Há semanas os Estados e Municípios enfrentam dificuldades em informar os casos de contaminação e de internação. O #ApagaoNaSaude inviabiliza o enfrentamento da pandemia", escreveu.

A invasão aos sistemas do Ministério da Saúde completa um mês nesta segunda. O ataque hacker atingiu plataformas como e-SUS Notifica, Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI ) e ConecteSUS, que fornece o comprovante de vacinação.

Embora tenham voltado a operar, alguns sistemas permanecem instáveis, o que tem dificultado o abastecimento e a consulta de informações. O crime cibernético está sendo investigado pela Polícia Federal.

Política