Balança do agronegócio paulista tem superávit 14,2% no acumulado do ano até maio

São Paulo, 14 - O saldo da balança comercial do agronegócio paulista atingiu superávit de US$ 9,42 bilhões nos primeiros cinco meses de 2024, representando aumento de 14,2% em comparação com janeiro a maio de 2023. O levantamento é do coordenador da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), Carlos Nabil Ghobril, e dos pesquisadores José Alberto Angelo e Marli Dias Mascarenhas Oliveira, do Instituto de Economia Agrícola (IEA-Apta), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo.No período, o setor registrou um aumento de 12,8% nas exportações, totalizando US$ 11,76 bilhões. As importações também apresentaram crescimento, alcançando US$ 2,34 bilhões, o que corresponde a um aumento de 7,3% em relação ao ano anterior.Segundo o estudo, as exportações do agronegócio representaram 42,5% do total das exportações do Estado de São Paulo no acumulado de janeiro a maio de 2024, enquanto as importações do setor corresponderam a 7,8% do total.Os cinco principais grupos nas exportações foram: Complexo sucroalcooleiro: totalizando US$ 4,37 bilhões, sendo que desse total o açúcar representou 90,4% e o álcool etílico - etanol, 9,6%; Produtos florestais: alcançaram US$ 1,28 bilhão, com participações de 52,5% de celulose e 41,1% de papel; Carnes: registraram US$ 1,256 bilhão, sendo que a carne bovina respondeu por 83,4%; Sucos: com vendas de US$ 971,10 milhões, sendo 97,6% referentes a suco de laranja; Complexo Soja: totalizando US$ 1,257 bilhão, dos quais a soja em grão participou com 82,7%. Esses cinco agregados representaram 77,6% das vendas externas setoriais paulistas.O grupo do café, tradicional cultura do Estado de São Paulo, aparece em sexto lugar, com vendas de US$ 526,60 milhões (74,0% referentes ao café verde e 22,4% de café solúvel).O IEA/Apta ressaltou, ainda, que, apesar desses desafios, o setor agropecuário paulista conseguiu manter um saldo positivo, com exportações que totalizaram US$ 27,66 bilhões. Representando 19,9% do total nacional, enquanto as importações alcançaram US$ 29,97 bilhões, correspondendo a 29,1% do total nacional. Esses números resultaram em um déficit comercial de US$ 2,31 bilhões para o Estado.