ONG acusa Turquia de matar crianças refugiadas

Em Beirute

  • Tobias Schwarz/AFP

A ONG Observatório Sírio para os Direitos Humanos (Sohr, na sigla em inglês) acusou guardas de fronteira da Turquia de terem matado oito solicitantes de refúgio que tentavam entrar no país, incluindo quatro crianças.

As vítimas pretendiam cruzar a divisa turca em Kherbet al Jouz, no nordeste da Síria. Sob condição de anonimato, fontes de Ancara disseram não poder confirmar ainda as informações sobre os disparos, mas acrescentaram que foi iniciada uma investigação para apurar o caso.

O porta-voz do Unicef na Itália, Andrea Iacomini, condenou a "enésima obscenidade" contra solicitantes de refúgio e pediu para a União Europeia cobrar "explicações urgentes".

Bruxelas tem um acordo com a Turquia para lidar com o elevado fluxo de imigrantes sírios na região e evitar que eles tentem chegar ao território europeu.

"É um ato que, se for confirmado, não terá precedentes. Quem deseja entrar na Europa não pode se sujar com episódios do tipo", declarou Iacomini, fazendo referência ao pleito da Turquia para ser admitida como membro da UE.

Por causa da guerra, mais de 2,7 milhões de sírios já fugiram para o país vizinho, que reforçou a segurança na fronteira nos últimos meses

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos