Parada Gay é reprimida com violência pela Polícia na Turquia

ISTAMBUL, 26 JUN (ANSA) - A Polícia da Turquia lançou bombas de gás lacrimogêneo neste domingo, dia 26, contra pessoas que participavam da Parada Gay em Istambul, proibida pelo governo de Ancara.   

Ao menos 19 pessoas foram detidas, entre elas dois deputados alemães. "A Polícia levou meu passaporte", disse o representante do Partido Verde alemão, Volker Beck. A repressão teve início no centro da cidade, a poucos metros da simbólica praça Taksim, epicentro de protestos contra o governo de Recep Tayyip Erdogan nos últimos anos.   

Policias começaram a agir com violência quando um grupo portando uma bandeira do arco-íris, símbolo do orgulho LGBT, tentaram ler um comunicado.   

Um grande contingente de guardas foi enviado ao local após organizadores divulgarem recentemente que tentariam realizar formas alternativas de protesto.   

Histórico - A Turquia proibiu há mais de uma semana a realização da Parada Gay de Istambul. O governo alegou motivos de "segurança" e de "manutenção da ordem pública". De acordo com autoridades de Ancara, grupos nacionalistas fizeram ameaças contra a parada, que chega a sua 14ª edição. A última Parada Gay de Istambul, realizada em 2015, foi interrompida pela Polícia logo após seu início, com bombas de gás lacrimogêneo e canhões de água. O motivo da intervenção policial foi a realização de um protesto contra Erdogan, que foi chamado de "fascista" durante o ato.   

(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos