Após polêmica, Facebook age contra notícias falsas

ROMA, 15 NOV (ANSA) - Após ser acusado de ajudar a eleição de Donald Trump nos Estados Unidos, o Facebook anunciou novas medidas contra a circulação de notícias falsas na rede social.   

Segundo relatórios divulgados hoje, o Facebook - e também o Google - anunciaram que irão reduzir o alcance dos sites que promovem, através de pagamentos, notícias reconhecidamente falsas. Para isso, os dois gigantes querem impedir que os anúncios publicitários desses sites sejam gerados.   

A medida, apesar de paliativa, é o primeiro passo após a rede de Mark Zuckerberg ser acusada de não controlar notícias mentirosas pró-Trump e a deixar seus usuários em "bolhas de informação", lendo apenas fatos favoráveis a determinadas causas.   

Zuckerberg, no entanto, negou que a rede social tenha interferido no resultado das eleições. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos