Supremo da Rússia aprova libertação de ativista opositor

MOSCOU, 22 FEV (ANSA) - A Suprema corte da Rússia aprovou nesta quarta-feira (22) a libertação imediata do ativista opositor Ildar Dadin, condenado a dois anos e meio de prisão por participar de várias manifestações contra o governo e acumular faltas administrativas.   

A medida foi adotada em virtude de uma recente sentença do Tribunal Constitucional, que estabeleceu que a legislação só pode ser aplicada quando as faltas administrativas colocam um "perigo para os cidadãos e a ordem pública".   

Segundo as autoridades, a população só pode ser condenada a prisão por reiteradas transgressões formais às normas que regulamentam a realização de comícios e manifestações. Desta forma, foi ordenada a revisão da condenação imposta a Dadin.   

A decisão emitida pelo Supremo entrou em vigor imediatamente. No entanto, o opositor ao governo russo só será libertado quando a documentação chegar à penitenciária da região da República Altaica, onde se encontra o detento, o que pode levar alguns dias.   

"É preciso respeitar as decisões dos tribunais, mais ainda as do Supremo", afirmou o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.   

Dadin foi o primeiro a ser preso conforme a nova lei que proíbe protestos anti-Kremlin e pune com prisão o ato de cometer faltas administrativas durante comícios e manifestações em um período de 180 dias. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos