Cruz Vermelha diz que evacuação em cidade síria é 'lenta'

BEIRUTE, 28 DEZ (ANSA) - A evacuação de dezenas de doentes da cidade síria de Ghuta, após um acordo humanitário com o governo de Bashar al-Assad, ainda é lenta, informou a Cruz Vermelha.   

As retiradas dos doentes, especialmente aqueles que sofrem de doenças graves, continuam nesta quinta-feira (28), mas apenas 29 pessoas já foram retiradas da área rebelde sitiada pelo governo sírio há quatro anos.   

O acordo previa a soltura de presos em troca da saída de pessoas doentes. Segundo o Comitê Internacional da Cruz Vermelha, há cerca de 300 civis que precisam ser retirados urgentemente da região oriental da cidade para receber atendimento médico.   

Mas, as Nações Unidas pedem a retirada imediata de 500 sírios, incluindo muitas crianças que sofrem com o câncer. Atualmente, a população de Ghuta gira em torno de 400 mil pessoas.   

Sempre citando a ONU, as agências locais informam que 12% dos menores de idade que moram na localidade sofrem com desnutrição por conta do embargo do governo sírio ao fornecimento de alimentos para a cidade, que desde 2012 é controlada por rebeldes anti-Assad.   

Nos últimos dias, o presidente da Federação Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, Francesco Rocca, foi a Damasco para se reunir com Assad. Em uma entrevista à ANSA, Rocca destacou que o "ponto crítico" para a entidade era Ghuta Oriental por conta do problema de saúde de crianças, adultos e idosos. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos