D. Helder Câmara vira patrono brasileiro dos Direitos Humanos

SÃO PAULO, 29 DEZ (ANSA) - O religioso católico Dom Helder Câmara tornou-se o patrono brasileiro dos Direitos Humanos após o presidente Michel Temer sancionar uma lei que concede o título ao ex-arcebispo de Olinda e Recife.   


A publicação da lei ocorreu na quarta-feira (27) através do Diário Oficial da União. Segundo o site da Presidência, Dom Helder "foi um dos ícones da Igreja Católica contra a ditadura militar", participando de organizações e movimentos nas quais foi "um líder contra o autoritarismo e os abusos dos direitos humanos praticado pelos militares".   


O prelado é o único brasileiro da história a ter sido indicado por quatro vezes como Nobel da Paz e foi um dos fundadores da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).   


Nascido em 7 de fevereiro de 1909, em Fortaleza, o religioso foi ordenado padre em 1931. Além de atuar como bispo-auxiliar no Rio de Janeiro, o católico foi arcebispo de Olinda e Recife entre 1964 e 1985. Ele faleceu em 1999 no Recife. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos