Guru indiano é condenado à prisão perpétua por estupro

ROMA, 26 ABR (ANSA) - O guru indiano Asaram Bapu foi condenado à prisão perpétua por abusar sexualmente de uma jovem de 16 anos.   

Bapu, que possui 400 "ashrams" - centros de meditação e prática religiosa - espalhados pelo mundo, é acusado de violentar uma de suas seguidoras em Judhpur. O caso aconteceu há cinco anos, e o guru chegou a ser preso pelo crime. Mas esse não é o único episódio pelo qual Bapu é julgado.   

Aos 77 anos, ele também é acusado de violência sexual por uma mulher em Gujarat, crime que teria ocorrido entre 2002 e 2004.   

Além disso, outros gurus indianos estão envolvidos em estupros.   

Em 2017, Gurmeet Ram Rahim Singh foi condenado a 20 anos de prisão por violência sexual contra duas mulheres em 2002.   

A sentença gerou diversos protestos na Índia, que culminaram na morte de mais de 30 pessoas, além de 200 feridos. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos