PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Papa convida fiéis a rezarem por católicos da China - país que não reconhece o Vaticano

Padre chinês em vilarejo católico na China - Damir Sagolj / REUTERS
Padre chinês em vilarejo católico na China Imagem: Damir Sagolj / REUTERS

23/05/2018 18h57

O papa Francisco convidou os fiéis nesta quarta-feira (23) a rezarem pelos católicos da China, cuja Igreja oficial não reconhece a autoridade do Pontífice.   

Durante sua audiência geral, Jorge Bergoglio lembrou que, na quinta-feira (24), comemora-se o dia de Nossa Senhora "Auxiliadora dos Cristãos", adorada no santuário de Sheshan, na China.   

"Esta festa nos convida a estarmos unidos espiritualmente a todos os fiéis católicos que vivem na China", disse Francisco.   

"Rezemos a Nossa Senhora, para que eles possam viver a fé com generosidade e serenidade, e para que saibam realizar gestos concretos de fraternidade, concórdia e reconciliação, em plena comunhão com o sucessor de Pedro [o próprio Papa]", acrescentou.   

O pedido de Francisco surge em meio aos diálogos entre a Santa Sé e a China para reunificar a Igreja, "oficial", ligada ao governo, e a "clandestina", fiel ao Vaticano. O cantor britânico Rod Stewart e sua esposa, Penny Lancaster, também estavam presentes na audiência.   

"O Papa nos pediu para rezar por ele e nos abençoou, presenteando um rosário para cada um", escreveu Lancaster nas redes sociais.   

Bomba

O Vaticano ficou em estado de alerta nesta quarta-feira, após um telefonema anônimo denunciar uma bomba perto da praça São Pedro.   

O suposto explosivo estava em um banco nos arredores do Vaticano, mas a ameaça revelou-se um alarme falso. 



Internacional