Topo

Pesquisadores encontram cinco novos esqueletos em Pompeia

Roma

24/10/2018 14h33

Os restos mortais de cinco pessoas, possivelmente duas mulheres e três crianças, foram descobertos por pesquisadores do Parque Arqueológico de Pompeia, no sul da Itália.   

Segundo os arqueólogos, o grupo se refugiou em um dos cômodos da casa localizada na área conhecida como "Regio  V" do sítio histórico, na tentativa de fugir da tempestade de cinzas que atingiu a cidade em 79 d.C., após uma a erupção do vulcão Vesúvio.   

"É uma descoberta chocante, mas também muito importante para a história dos estudos", diz o diretor-geral do parque, Massimo Ossana. Os esqueletos foram encontrados na mesma casa em que uma inscrição a carvão fez os pesquisadores revisarem a data do desastre de agosto para outubro de 79 d.C.   

De acordo com os pesquisadores, a casa passava por uma reforma, mas ainda estava habitada. "Nas horas finais, as cinzas já haviam invadido toda a parte, inclusive a rua da casa. A fumaça já estava em todo o lugar. A porta do quarto estava bloqueada e o telhado colapsou em muitos cômodos da casa", explica Ossana.   

O quarto escolhido como abrigo pelo grupo foi o último a perder o teto por causa da tempestade. "Eles se trancaram lá, na esperança de que aquele seria um local seguro", relata o diretor-geral.

Utilizando a técnica de injetar gesso nas cinzas para reproduzir a forma dos corpos e objetos que foram cobertos pela lava solidificada, os pesquisadores descobriram que o grupo posicionou móveis próximos à porta para tentar bloquear a entrada. As tentativas de salvação, no entanto, foram em vão, já que os habitantes morreram esmagados pelo telhado ou queimados pela tempestade, com a chance de que ambas as possibilidades tenham ocorrido.

Também foram descobertos outros fatos importantes sobre a cidade. Uma moeda encontrada nas ruínas, que data do século 17 dá indícios de que escavações clandestinas foram feitas na região bem antes do início oficial dos trabalhos, em 1748. "São escavações que buscavam encontrar objetos de valor, sem nenhuma intenção de recuperar os esqueletos, que foram parcialmente removidos e desmembrados. Os ladrões de túmulos cavaram túneis nas cinzas solidificadas e levaram tudo o que puderam, deixando os corpos somente com dois colares de material semelhante ao vidro. Os túneis não chegaram ao interior do cômodo usado como refúgio, onde as vítimas foram encontradas intactas", afirma Massimo Ossanna. "São descobertas de extraordinário interesse, seja para saber sobre a dinâmica de erupção, seja para a documentação das escavações feitas na idade Moderna", acrescenta o diretor.

Pompeia fica nos arredores de Nápoles e foi totalmente destruída pela erupção do Vesúvio em 79 d.C. O local é atualmente a segunda atração turística mais visitada da Itália, atrás apenas do Coliseu. 

Notícias