Topo

Papa pede que vítimas de terremoto não sejam esquecidas

16/06/2019 10h30

ROMA, 16 JUN (ANSA) - O papa Francisco pediu neste domingo (16) na cidade de Camerino, atingida por um terremoto em 2016, para nenhum cidadão se esquecer das vítimas agora que passou a "comoção" e o apelo midiático em volta da tragédia que deixou mais de 300 mortos. A declaração foi dada na homilia da missa realizada perante milhares de pessoas durante sua visita nas áreas do centro da Itália atingidas pela sequência de terremotos iniciada em 24 de agosto de 2016.   

"Quase três anos se passaram e o risco é que, após o primeiro envolvimento emocional e da mídia, a atenção caia e as promessas acabem em segundo plano, aumentando a frustração daqueles que veem o território cada vez mais deserto", disse. O Pontífice afirmou que, "o Senhor, pelo contrário, desfia a lembrar, reparar, reconstruir e fazer isso juntos, sem nunca esquecer aqueles que sofrem".   

"Eu vim aqui hoje simplesmente para estar perto de vocês. Estou aqui para rezar com todos a Deus, que se lembra de nós, para que ninguém se esqueça aqueles que estão em dificuldades", ressaltou.   

O líder da Igreja Católica aproveitou sua mensagem de esperança e solidariedade para evocar o "Deus da Esperança", para que possa suscitar "gestos concretos de proximidade". Mais cedo, Jorge Bergoglio encontrou com famílias que ainda vivem em alojamentos provisórios, após terem suas casas devastadas pelo sismo, e realizou uma visita na Catedral de Camerino, onde ainda é possível ver os danos causados pelo fenômeno. Lá, ele precisou usar capacete por motivos de segurança. Ao falar com as famílias da cidade localizada na província de Macerata, o Santo Padre elogiou a "paciência e coragem" por terem que viver em estruturas provisórias e desejou que, em breve, seja encontrada uma solução definitiva. "Tenha esperança, vá em frente. Eu estou perto de cada um de vocês e rezo para que esta situação possa ser resolvida o mais rápido possível. Obrigado por sua paciência e coragem", disse. Durante sua homilia na missa em praça pública, o Papa ainda lançou um questionamento sobre o significado de ser humano utilizando imagens das "casas e prédios desmoronados, reduzidos a escombros".   

"Na incerteza que sentimos por fora e por dentro, o Senhor nos dá uma certeza: Ele lembra-se de nós. Ele recorda, isto é, ele regressa com o seu coração para nós, porque estamos no seu coração. E enquanto muitas coisas são rapidamente esquecidas aqui, Deus não nos deixa no esquecimento", declarou.   

Por fim, Francisco lembrou que todas as pessoas do mundo têm um "valor infinito", justamente por isso convidou a todos a rezar para o "reconstrutor da esperança", o Espírito Santo.   

"É preciso mais força para reparar do que para construir, para recomeçar do que para começar, para reconciliar do que para chegar a acordo. Essa é a força que Deus nos dá. Portanto, quem chega perto de Deus não se deixa abater, mas continua: começa de novo, tenta de novo, reconstrói", ressaltou.   

Antes de retornar ao Vaticano, o Papa também participa de uma reunião com autoridades locais de 32 municípios da diocese italiana, além de um almoço com os sacerdotes da Arquidiocese de Camerino-San Severino Marche no Centro Comunitário de São Paulo e um encontro com crianças no Ginásio do Centro Desportivo da Universidade de Camerino. Camerino foi epicentro de um terremoto em 26 de outubro de 2016, réplica da sequência sísmica iniciada com o tremor de 24 de agosto, em Amatrice. Desde então, os abalos no centro da Itália já matara 333 pessoas, incluindo as 29 que faleceram em uma avalanche no hotel Rigopiano, em janeiro de 2017. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Internacional