PUBLICIDADE
Topo

Internacional

A vida na única província italiana sem coronavírus

Coronavírus: Pedestres usam máscaras de proteção na cidade de Milão, na Itália - Josi Donelli/The News2/Estadão Conteúdo
Coronavírus: Pedestres usam máscaras de proteção na cidade de Milão, na Itália Imagem: Josi Donelli/The News2/Estadão Conteúdo

Lucas Rizzi

Da ANSA, em São Paulo

13/03/2020 15h35

Isernia é uma província de 84,3 mil habitantes situada em Molise, um pedaço do sul da Itália que, de tão desconhecido do restante do país, ganhou o apelido de "região que não existe".

Mas o que não existe em Isernia, ao menos por enquanto, são casos de Covid-19, a doença provocada pelo temido novo coronavírus (Sars-CoV-2). A província é a menos populosa da Itália e, longe do epicentro da epidemia, tem conseguido se manter imune.

Somadas, todas as províncias que fazem fronteira com Isernia, incluindo Campobasso, onde fica a capital de Molise, registram 115 contágios, 0,65% do total registrado no país. Apesar disso, ela também é alvo do semi-isolamento imposto pelo governo nacional no início da semana.

"Estamos com o pensamento positivo de que essas medidas vão ajudar a conter o avanço do vírus. Claro que existe, sim, uma preocupação, mas todos estão bem unidos no sentido de ajudar uns aos outros", conta Pedro Guglielmi, que, com a companheira, Mariana López, vive na cidade de Isernia, capital da província, há cinco anos e mantém um canal de turismo no YouTube chamado "Descubra Molise".

O casal trabalha com produção audiovisual e, após o decreto do primeiro-ministro Giuseppe Conte, adotou o home office para não contribuir com o avanço da epidemia. A medida do governo proíbe a livre circulação de pessoas pela rua, a não ser por "comprovadas exigências de trabalho, situações de necessidade, motivos de saúde ou para voltar ao próprio domicílio".

Restaurantes e bares estão fechados, assim como museus, escolas, universidades e salões de beleza. "Todo mundo por aqui está seguindo as regras. Para sair na rua, é necessária uma certificação que fale o motivo pelo qual você está na rua", conta López.

Ela e Guglielmi são de São Paulo e escolheram Isernia porque queriam um lugar tranquilo para viver, longe dos grandes centros urbanos. "Molise foi a região perfeita para nós. Nossa família mora a poucas horas daqui, no Lazio, então é supertranquilo para visitá-los", dizem.

Até o momento, a epidemia de coronavírus já contaminou mais de 17 mil pessoas na Itália e deixou pelo menos 1.266 mortos. 77,5% dos contágios se concentram em três regiões: Lombardia (9.820), Emilia-Romagna (2.263) e Vêneto (1.595), todas no norte.

Internacional