PUBLICIDADE
Topo

Putin faz 'ameaça' a jornalista vencedor do Nobel da Paz

Putin afirmou que o Prêmio Nobel da Paz dado para o jornalista Dmitry Muratov na última semana "não é escudo" para protegê-lo - Alexey Druzhinin/Sputnik/AFP
Putin afirmou que o Prêmio Nobel da Paz dado para o jornalista Dmitry Muratov na última semana "não é escudo" para protegê-lo Imagem: Alexey Druzhinin/Sputnik/AFP

13/10/2021 13h51

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou nesta quarta-feira (13) que o Prêmio Nobel da Paz dado para o jornalista Dmitry Muratov na última semana "não é escudo" para protegê-lo em caso de "violação da lei" ou de ser classificado como "agente estrangeiro".

"Se não viola a lei russa e não dá razão para ser declarado um agente estrangeiro, não acontecerá. [Mas], o Nobel não é escudo para atrair a atenção para si", disse Putin durante um encontro.

Muratov, 59 anos, é cofundador e ex-editor-chefe do jornal independente Novaya Gazeta, um dos poucos grandes veículos que ainda é crítico ao governo de Vladimir Putin. A maior parte da mídia russa é alinhada ou patrocinada por Moscou.

O conceito de "agente estrangeiro" é muito abrangente e é aplicado a veículos de comunicação que fazem matérias críticas ao governo. Na teoria, é considerado um local do tipo aqueles que recebem fundos do exterior para promover "atividades políticas", mas a medida é vista por analistas internacionais como uma forma de perseguir quem "ousar" fazer matérias investigativas sobre o governo de Putin.

Ao ser classificado com o título de "agente estrangeiro", os jornais, sites ou agências precisam colocar esse selo em suas publicações, além de ter seus profissionais vigiados constantemente.

No dia que Muratov foi anunciado como um dos vencedores do Nobel da Paz de 2021, ao lado da filipina Maria Ressa, o Kremlin classificou nove jornalistas e três empresas como "patrocinadas" por estrangeiros.