O que pensa Bernie Sanders, socialista que ameaça Hillary Clinton

  • Scott Olson/Getty Images/AFP

O senador americano Bernie Sanders vem ganhando protagonismo na disputa pela vaga do Partido Democrata na eleição presidencial dos Estados Unidos.

Tido como azarão diante da favorita Hillary Clinton, o político de 74 anos do Estado de Vermont venceu nesta terça-feira a primária no Estado de New Hampshire - após ficar atrás da ex-secretária de Estado por uma margem mínima em Iowa na semana passada.

Abaixo, alguns argumentos defendidos pelo pré-candidato:

1. Ele é socialista. Sanders disputa sob a denominação de "socialista democrata", mas em sua longa carreira política, passou a se sentir confortável com o temo "socialista" ("Sou socialista e todo mundo sabe disso").

Ele classifica sua ideologia política da seguinte forma: "Socialismo democrático significa que nós devemos criar uma economia que funcione para todos, não apenas para os muito ricos".

A briga de Sanders por tratamento igual para pobres e classe média, e contra a "classe bilionária", é tema central em sua campanha, e o manto socialista o tem posicionado mais à esquerda de Hillary.

Siga a BBC Brasil no Facebook e no Twitter

2. 'As mudanças climáticas são reais'. Depois que a Agência de Administração Oceânica e Atmosférica dos EUA afirmou que 2015 foi o ano mais quente já registrado, Sanders tuitou: "O debate acabou. As mudanças climáticas são reais e causadas por atividade humana".

Ele quer taxar emissões de carbono, cortar os subsídios aos combustíveis fósseis e investir em tecnologias para energia limpa.

3. 'O ensino superior deve ser de graça'. "A universidade é o novo ensino médio", escreveu Sanders em artigo no jornal Washington Post, argumentando que a igualdade de classes será impossível se a maioria dos americanos não tiver acesso ao ensino universitário.

Ele montou um plano para tornar gratuitas as mensalidades por meio da taxação dos mercados financeiros em Wall Street.

4. Posse de armas é "estilo de vida que não deve ser condenado". Sanders tem um passado dúbio quanto ao controle de armas, o que se explica pelo fato de ele vir de Vermont, Estado pró-armas e onde "99% das pessoas que caçam obedecem à lei", segundo o senador.

Ele apoia a checagem universal de antecedentes para compradores de armas, mas prefere o meio-termo no lugar de um amplo controle de armas.

5. 'Vidas de negros importam'. Embora Sanders tenha sido vaiado em um evento de sua própria campanha por membros do grupo Black Lives Matter, ele vem se encontrando com ativistas e concorda que a alta taxa de desemprego e encarceramento entre afro-americanos é uma evidência de racismo sistêmico nos Estados Unidos. Ele defende a reforma da Justiça criminal como saída para o problema.

6. Ele não aceita recursos dos chamados super PACs. Sanders se orgulha de que os doadores de sua campanha são majoritariamente indivíduos, que contribuem, em média, com US$ 27.

Ele chama de "desastrosa" a decisão da Suprema Corte Americana que deu aos super PACs, comitês que recolhem doações em nome dos candidatos, o direito de arrecadar dinheiro de corporações e sindicatos. "Não acho que bilionários devam ter o poder de comprar políticos", ele disse.

7. 'O salário mínimo deveria ser US$ 15 por hora, em vez dos atuais US$ 7,25'. Sanders afirma que ninguém que trabalhe 40 horas por semana deveria viver em condição de pobreza.

No entanto, economistas republicanos e democratas se mostram preocupados com a possibilidade de que tamanho aumento salarial tenha consequências problemáticas para cidades pobres e negócios em dificuldades.

8. 'Americanos estão cansados do bipartidarismo'. Por décadas, Sanders tem criticado tanto o partido Republicano como o Democrata, afirmando que os dois estão atados ao dinheiro das corporações.

Sanders foi eleito para o Senado como independente, e muitos disseram que a rejeição do senador aos dois partidos o deixa isolado e sem força. Sanders argumenta que seu perfil alternativo é que faz crescerem suas bases.

9. Ele prefere viajar de classe econômica. Fotos de Sanders voando nas fileiras do fundo de um um voo comercial se tornaram virais e seus seguidores têm espalhado hashtags como #SandersOnAPlane para mostrar que o pré-candidato é um homem comum, que não desperdiçaria o dinheiro de quem paga impostos.

Muitas imagens de Sanders viajando no assento do meio no avião renderam memes com Hillary e o republicano Donald Trump em jatinhos privados.

10. 'Os EUA deveriam adotar o sistema universal de saúde, pago pelo governo federal'. Sanders regularmente expõe sua admiração pelos sistemas de saúde do Canadá e dos países escandinavos.

11. 'US$ 1 trilhão de gastos em infraestrutura'. Sanders quer criar empregos com pesados investimentos em estradas, pontes, sistemas de tratamento de água, ferrovias e aeroportos, que gerariam, segundo ele, 13 milhões de novos postos em cinco anos.

12. 'Taxar os ricos'. Sanders quer pagar a maior parte de suas propostas com a criação de uma série de impostos e taxas, a maioria dos quais incidindo sobre os americanos ricos: gestores de fundos hedge, especuladores em Wall Street e grandes empresários.

13. 'A invasão ao Iraque jamais deveria ter acontecido'. Sanders votou contra a guerra iniciada em 2002 e afirma que não mudou de opinião. Ele chama a invasão de "a pior estupidez da política externa na história do país".

14. 'Nada de tropas em terra na Síria ou no combate ao Estado Islâmico'. Sanders acredita que a diplomacia deve sempre vir primeiro na política externa e afirma que os países do Oriente Médio devem liderar o combate na região contra o Estado Islâmico.

15. 'Estilo pessoal é perda de tempo'. Se os Obamas são chamados de o mais estiloso casal presidencial desde os Kennedys, a Casa Branca de Sanders seria certamente mais relaxada. A esposa do candidato, Jane O'Meara, afirmou que se o marido "tem sete suéteres, isso significa que três estão sobrando".

Questionado por estar sempre descabelado, Sanders foi duro: "A mídia frequentemente gasta mais tempo preocupada com cabelo do que com o fato de que o maior país do planeta não garante saúde para toda sua população".

16. Ele gosta de ser chamado de "Bernie". Durante sua campanha para senador por Vermont, seus adesivos traziam somente o nome "Bernie". "É preciso atingir um estado elevado na política para que se possa ser chamado por seu primeiro nome", elogiou o senador Patrick Leahy, em 2007.

17. Ele adoraria disputar contra Trump. "Eu devo dizer a vocês que, pessoalmente, teria uma enorme satisfação de disputar (as eleições presidenciais) com Donald Trump".

Esta reportagem foi publicada originalmente em 21 de janeiro e atualizada após os resultados das primárias em Iowa e New Hampshire.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos