Montanhista encontrado congelado após 16 anos se tornou lenda por salvar companheiros

Da BBC Mundo -

O montanhista americano Alex Lowe era conhecido nos anos 1990 não apenas por sua incrível capacidade de desbravar os picos mais desafiadores do mundo, mas também por sua dedicação em salvar companheiros que se encontravam com problemas durante estas escaladas.

Por isso, foi grande a comoção quando ele desapareceu em 5 de outubro de 1999, junto com o cinegrafista David Bridge, quando tentavam chegar ao topo do 14º pico mais alto do mundo, o monte Shishapangma, na cordilheira do Himalaia, no Tibet.

Neste fim de semana, 16 anos depois da dupla sumir após ser atingida por uma avalanche, seus restos foram encontrados por montanhistas que retornavam para casa.

"Seus corpos foram achados cobertos por gelo, era como se tivessem parado no tempo", escreveu a mulher do Lowe, Jennifer Lowe-Anker, ao anunciar a descoberta.

No acidente, a maioria dos integrantes da equipe de escalada que acompanhavam Lowe e Bridges conseguiu escapar com vida. Seus corpos nunca haviam sido encontrados apesar dos esforços constantes para localizá-los.

"Isso é um alívio para mim e para a família de Lowe e de Bridge, que não haviam conseguido enterrar seus entes queridos", disse Conrad Anker, que estava com os montanhistas no momento da avalanche, à revistaOutside .

  • Leia também: O que se deve comer antes e depois de fazer exercícios

Escalando um gigante

Nascido em 1958, Lowe ficou conhecido na década de 1990 como um dos principais escaladores e montanhistas do mundo. Uma das razões para essa fama foram as dez escaladas realizadas por ele em uma das formações verticais mais perigosas - e cobiçadas por alpinistas de todo o planeta: El Capitán , no parque Yosemite, no Estado da Califórnia, nos Estados Unidos.

Ele também demonstrava um interesse especial pelos montes do Himalaia: havia chegado ao topo do Everest em duas ocasiões e atingido outros picos entre os chamados "Os Oito Mil", porque estão localizado a mais de 8 mil metros acima do nível do mar. Mas o Shishapangma, com uma altura de 8.027 metros, tinha um significado especial para Lowe.

"As pessoas falam muito do Everest, mas, para mim, o Shishapangma não é apenas o mais belo em meio à paisagem do Tiber, mas também o que tem a melhor rota para escalá-lo, é o mais interessante", disse ele no blog MontainZone.com, onde descrevia suas escaladas e compartilhava suas impressões sobre cada expedição.

  • Leia também: Como cientistas criaram por acidente uma bateria que dura a vida toda

Em outubro de 1999, junto com Bridge, que havia se especializado como documentarista de alpinismo, Anker e outros especialistas em escalada, ele tentou subir a montanha.

No meio do projeto, eles decidiram se dividir em duas equipes. Foi onde Lowe, Anker e Bridge, que gravava para um programa especial do canal americano NBC, tomaram outro caminho para criar uma nova rota de subida. Mas a montanha caiu sobre eles.

Segundo o relato de Anker, Lowe deu um grito neste momento para alertar a todos os membros do grupo a tempo de se esconderem. Anker quebrou duas costelas e sofreu um forte golpe na cabeça, mas conseguiu evitar a grande quantidade de neve que soterrou os corpos de Lowe e Bridge.

Durante 20 dias, equipes de resgate e seus companheiros sobreviventes buscaram por eles sem descanso, mas as condições climáticas pioraram, e foi preciso deixar seus corpos congelarem sob o frio da montanha.

  • Leia também: Como é namorar alguém que é assexual?

A descoberta

Na semana passada, Anker, que se casou com a mulher de Lowe, recebeu um telefonema dos montanhistas David Goettler e Ueli Steck, que estavam escalando o Shishapangma. Eles queriam informar que haviam achado os dois corpos encapsulados em um bloco de gelo.

"Quando descreveram os equipamentos achados junto, não restaram dúvidas: eram eles", disse Anker. De imediato, foram iniciados os trabalhos para tirar os corpos do gelo e levá-los de volta para os Estados Unidos.

Lowe também era conhecido por sua dedicação no resgate de companheiros, como quando alpinistas espanhóis enfrentaram diversos problemas durante uma expedição em junho de 1995.

Por estes feitos, em setembro de 2005, uma elevação dentro do Parque Nacional de Gallatin, no Estado de Montana, recebeu o nome de Lowe em sua homenagem.

  • Leia também: Motivo de novo bloqueio do WhatsApp é o mesmo que levou executivo do Facebook à prisão

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos