Americano é morto a tiros enquanto fazia transmissão ao vivo pelo Facebook

Um homem em Chicago, nos Estados Unidos, foi morto a tiros no momento em que fazia uma transmissão ao vivo pelo Facebook, segundo informações da polícia local.

Segundo as autoridades, Antonio Perkins, de 28 anos, recebeu os disparos na cabeça e pescoço enquanto se filmava usando a ferramenta de live-streaming da rede social.

O vídeo continua disponível no Facebook e já foi visto mais de 700 mil vezes.

Esta foi a segunda vez em menos de três meses que um ataque a tiros em Chicago acaba sendo transmitido ao vivo pelo Facebook. Em março, um outro homem não identificado fazia um live-streaming quando recebeu 16 disparos.

Ninguém foi preso em nenhum dos casos.

  • 'Campanha do medo' e assassinato marcam reta final de plebiscito britânico sobre UE
  • Fiscalização flagra trabalho escravo e infantil em marca de roupas de luxo em SP

Chicago tem um dos piores índices de crimes relacionados a armas de fogo entre as cidades americanas.

Em 2015, foram registrados cerca de 500 homicídios na cidade em 2015 e, segundo a polícia, o número pode aumentar em 2016.

Advertência

O vídeo de Perkins mostra o americano e um grupo de pessoas falando para a câmera do celular. Até que são ouvidos os disparos.

O telefone parece cair na grama em meio ao sangue e a imagem se escurece.

É possível ouvir pessoas gritando e chorando em volta.

O vídeo ainda está disponível com uma mensagem de advertência devido à violência das imagens.

  • 'Detector de metal no restaurante e várias notas para comprar um único refrigerante': repórter da BBC relata difícil regresso à Venezuela

Uma porta-voz do Facebook explicou que o vídeo não desrespeita as políticas da companhia, que só remove conteúdos que celebram ou glorificam a violência.

Tempo real

A função live-streaming do Facebook permite que qualquer usuário da rede social transmita vídeos em tempo real.

O live-streaming, ou Facebook Live, foi lançado em 2010, mas nos últimos meses se transformou em um componente cada vez mais importante da estratégia do Facebook.

Mas este e outros eventos, como a recente transmissão ao vivo de um suicídio através do Periscope, na França, estão começando a gerar um debate sobre a melhor forma de regulamentar e proteger jovens usuários das redes sociais.

O Periscope é um aplicativo comprado pelo Twitter em 2015, bastante utilizado por adolescentes e com estimados 10 milhões de usuários.

Esse aplicativo já foi usado antes para mostrar conteúdos inadequados, incluindo crimes e violência.

Em maio, uma francesa de 19 anos, chamada Océane, usou o Periscope para transmitir o momento em que se atirou em frente a um trem, depois de acusar o ex-namorado de tê-la estuprado e divulgado a agressão no aplicativo Snapchat.

O Facebook Live, por sua vez, foi usado há alguns dias pelo assassino de um policial francês e sua esposa nos arredores de Paris.

Depois do crime, Larossi Abballa transmitiu um vídeo no qual pediu que seus seguidores matassem mais policiais, funcionários de prisões, parlamentares e jornalistas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos