Topo

Grávida é morta por cães durante caçada em floresta na França

A polícia abriu uma investigação de homicídio pela morte de Elisa Pilarski, 29 - Reprodução/Facebook
A polícia abriu uma investigação de homicídio pela morte de Elisa Pilarski, 29 Imagem: Reprodução/Facebook

20/11/2019 12h44

Elisa Pilarski, 29, foi encontrada morta com várias mordidas no corpo numa floresta onde uma caçada estava ocorrendo.

Uma mulher grávida foi morta por cães em uma floresta no norte da França, onde uma caçada estava ocorrendo, dizem investigadores.

O corpo de Elisa Pilarski, 29 anos, que passeava com seus próprios cães, foi descoberto perto da cidade de Villers-Cotterêts.

Ela morreu depois de levar "várias mordidas de cachorro nos seus membros superiores, inferiores e na cabeça", disse o promotor Frédéric Trinh.

A polícia disse que estava realizando testes em 93 cães e que havia aberto uma investigação de homicídio.

Os testes, comparando amostras de DNA frescas com as de Pilarski, tentarão determinar quais animais foram responsáveis pelo ataque e a quem eles pertenciam.

Cinco cães pertencentes a Pilarski, que estava grávida de seis meses no momento de sua morte, estão entre os analisados.

Uma autópsia mostrou que as mordidas causaram hemorragia grave.

O que aconteceu na floresta?

De acordo com um promotor, Pilarski estava passeando na floresta de Retz, que fica a cerca de 80 km a nordeste de Paris, no sábado, quando telefonou para seu parceiro, Christophe, para dizer que estava preocupada com a possibilidade de uma matilha de cães atacá-la.

Ele, então, foi para a área onde mais tarde o corpo foi encontrado.

"Procurei por ela, vi o (carro) 4x4, caminhei em direção a um barranco, mas cerca de 30 cães chegaram e fui embora", disse Christophe à emissora francesa BFMTV. Ele acrescentou que Pilarski parecia coberta de mordidas e algumas roupas foram arrancadas.

O casal morava numa casa perto da floresta. Depois de descobrir o corpo sem vida de Pilarski, Christophe pediu ajuda a um vizinho, que então chamou a polícia.

A morte de Pilarski ocorreu entre as 13:00 e as 13:30, de acordo com a autópsia.

Além dos cães de Pilarski, havia muitos outros na floresta participando de uma caçada, informou o jornal local Le Courrier Picard na terça-feira.

Uma pessoa que participou da caçada, Angela Van Den Berghe, confirmou que o evento havia acontecido no sábado, mas disse ao site de notícias francês L'Union que "até onde sabemos, o trágico acidente que ocorreu não tem relação nem com os nossos cães, nem com a caçada".

A atriz Brigitte Bardot, que é presidente de uma fundação de bem-estar animal, pediu às autoridades francesas que suspendam imediatamente "todas as autorizações de caça para esta temporada".

Mas a associação francesa de caça insistiu que não havia evidências de "envolvimento de cães de caça na morte dessa mulher".

A floresta de Retz circunda a pequena cidade de Villers-Cotterêts e cobre mais de 13.000 hectares. É o lar de muita vida selvagem, incluindo veados e raposas.

Internacional