PUBLICIDADE
Topo

Gabinete e residência de premiê belga eram alvos de ataques, diz imprensa

Em Bruxelas

30/03/2016 07h47

O gabinete e a residência oficial do primeiro-ministro da Bélgica, Charles Michel, eram potenciais alvos dos terroristas, segundo informações que estavam em um computador encontrado perto do apartamento usado pelos extremistas que cometeram o atentado contra o aeroporto internacional de Bruxelas.

Planos e fotos do escritório de Michel, que fica no centro de Bruxelas, foram achados na memória de um computador abandonado nas proximidades do imóvel usado pelos radicais no distrito de Schaerbeek, na capital do país, informaram nesta quarta-feira os jornais "L'Echo", "De Tijd" e "De Morgen".

Os três jornais atribuem a informação a "fontes confiáveis". Além disso, no computador havia dados detalhados do palácio de Lambermont, residência oficial do primeiro-ministro, que fica perto da embaixada dos Estados Unidos, de acordo com o "L'Echo".

O FBI deve analisar o equipamento e auxiliar as autoridades belgas a descriptografar os discos rígidos apreendidos.

Segundo os jornais, a segurança será reforçada no gabinete e na residência do primeiro-ministro, assim como na região do Senado e da Câmara dos Deputados da Bélgica.