Turquia demite 87 agentes do serviço secreto por supostos vínculos com Gülen

Istambul, 27 set (EFE).- As autoridades turcas demitiram 87 membros da Organização Nacional de Inteligência (MIT, sigla em turco), por supostos vínculos com o grupo de Fethullah Gülen, o teólogo e escritor acusado de incentivar a tentativa de golpe militar que fracassou em julho.

De acordo com a agência pública "Anadolu", a investigação abrangia 100 agentes do serviço secreto, dos quais 87 foram demitidos e estão proibidos de voltar a exercer qualquer cargo público.

O papel do MIT na tentativa de golpe de 15 de julho foi alvo de polêmica, já que, segundo as Forças Armadas, o MIT avisou ao Estado-Maior horas antes do levante, mas o presidente Recep Tayyip Erdogan afirmou que só soube do caso por seu próprio cunhado, quando os tanques já estavam nas ruas.

Apesar das demissões, o chefe do MIT, Hakan Fidan, não foi expulso e continua ocupando seu posto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos