Em comício, Hillary apela para ideais americanos para criticar Trump

Miami, 30 set (EFE).- A candidata democrata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, fez nesta sexta-feira uma defesa dos valores de generosidade que definem a identidade do país, que, para ela, é mais uma nação de ideais do que uma potência.

"Essa é uma nação excepcional não por seu poderio militar ou econômico, mas pela generosidade de sua gente e seu espírito de serviço", afirmou a ex-primeira-dama durante um comício eleitoral no Sunsire Theater de Fort Piece, na costa leste da Flórida.

A ex-secretária de Estado focou seu discurso de campanha nos valores éticos que formam a base dos Estados Unidos, tais como a prestação de serviços em benefício dos demais e o voluntariado, ideais que, segundo ela, "dão sentido e propósito à vida".

"Os EUA são grandes porque somos bons", destacou Hillary.

Se eleita presidente, a ex-primeira-dama afirmou que criará um programa batizado National Service Serve, que terá como objetivo treinar voluntários para atuar em situações de emergência ou catástrofes. Seria um projeto "bipartidário" que visa recrutar cerca de 5 milhões de pessoas em todo país.

"Servir é parte de nossa vida, servir com voluntários aqui ou em outros países. Servir faz você se sentir mais feliz e saudável, e é uma forma de compartilhar nossa forma de vida americana com os demais", ressaltou Hillary.

Com poucas referências ao seu rival nas eleições presidenciais, o republicano Donald Trump, Hillary começou o comício levantando duas questões que, segundo a opinião, definem a campanha eleitoral: "Que tipo de futuro queremos para nossos filhos e netos?" "Como tornar esse futuro realidade?"

Neste ponto do discurso, citou seu adversário para ressaltar as enormes diferenças existentes entre sua visão de nação e a do candidato republicano. "Não é só sobre o que faz os EUA grande, porque os EUA já são grandes. Agora se trata sobre o que pode fazê-lo maior ainda", explicou.

"Uma nação quebrada? Eu não vejo assim", disse Hillary, lançando na sequência um ataque mais direto a Trump, ao dizer que os EUA não querem um homem implacável e com poderes supremos, características, que, de acordo com a ex-secretária de Estado, são de ditadores e líderes como o presidente da Rússia, Vladimir Putin.

"Mas isso não é assim nos Estados Unidos. Aqui o poder não é de uma só pessoa. Aqui as pessoas trabalham juntas para construir uma realidade. Todos nós, não só os poderosos", completou.

Após o ato na Flórida, Hillary tem outro encontro com seus eleitores em Coral Spring, no condado de Broward, no norte de Miami.

As pesquisas mais recentes mostram uma disputa muito acirrada entre Hillary e Trump na Flórida, apesar de a democrata ter ampla maioria entre os eleitores hispânicos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos