Chargista malaio acusado de sedição é libertado

Bangcoc, 28 nov (EFE).- As autoridades da Malásia libertaram o chargista Zunar, detido no sábado sob a lei de sedição, após uma exposição na qual exibiu desenhos considerados ofensivos do primeiro-ministro, Najib Razak, informou nesta segunda-feira a imprensa local.

Zunar, cujo nome real é Zulkiflee SM Anwar Ulhaque, foi detido um dia depois da inauguração da mostra, atacada por cerca de 30 membros do partido governamental, que também agrediram o artista.

A Polícia tinha pedido que a detenção de Zunar fosse prolongada por mais quatro dias para poder investigar o suposto crime de sedição.

O juiz, por outro lado, decretou ontem à noite a liberdade do chargista, ao considerar que a crítica ao governo não pode ser considerada um crime, depois que o tribunal de apelações anulou na sexta-feira um parágrafo desta lei, segundo o portal "Malaysiakini".

A detenção de Zunar tinha sido qualificada como um "ultraje" pela Anistia Internacional, que também reivindicou a libertação da presidente do movimento Bersih, Maria Chin Abbdullah, detida por causa da grande manifestação do dia 21 para pedir a renúncia de Najib.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos