PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conselho de Segurança da ONU aprova novas sanções contra Coreia do Norte

24.abr.2016 - O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un acompanha o teste de um míssil submarino - KCNA/AFP
24.abr.2016 - O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un acompanha o teste de um míssil submarino Imagem: KCNA/AFP

Nas Nações Unidas

30/11/2016 13h03

O Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou nesta quarta-feira (30), por unanimidade, novas sanções contra a Coreia do Norte em resposta a seu último teste nuclear e a suas repetidas violações das resoluções da ONU.

As medidas incluem importantes restrições às exportações norte-coreanas de carvão, em uma tentativa de limitar as receitas de Pyongyang e, assim, os recursos que o regime pode dedicar a seus programas atômicos e de mísseis balísticos.

A resolução adotada hoje é o resultado de mais de dois meses de negociações entre Estados Unidos e China, que foram iniciadas após o teste nuclear realizado pela Coreia do Norte em 9 de setembro, o mais potente até o momento.

O texto reforça toda uma série de sanções que o Conselho de Segurança vem impondo nos últimos anos e, especialmente, o duro pacote aprovado após o teste nuclear que o país asiático realizou em janeiro deste ano.

As novas sanções impõem a partir de janeiro um limite de US$ 400 milhões, ou 7,5 milhões de toneladas anuais, para as exportações de carvão da Coreia do Norte, que segundo vários estudos, atualmente rende cerca de US$ 1 bilhão ao ano ao país, graças às compras da China.

Coreia do Norte comemorou teste nuclear com grande evento

Reuters

Além disso, as sanções proíbem as exportações de outros materiais como cobre e prata e introduzem outras restrições comerciais.

A resolução também acrescentou vários indivíduos e entidades à "lista negra" da ONU, o que acarreta em proibições de viagens e congelamento de ativos.

"O Conselho de Segurança tomou hoje uma ação contundente perante um dos desafios mais duráveis e inquietantes para a paz e a segurança", disse o secretário-geral das Nações Unidas, o sul-coreano Ban Ki-moon.

Ban, que, ao contrário do habitual, discursou no Conselho após a votação, destacou a "unidade" demonstrada pelos 15 integrantes deste órgão das Nações Unidas para fazer frente a esta ameaça e pediu a todos os Estados-membros da organização que apliquem totalmente as sanções para garantir sua efetividade.

Segundo Ban, a Coreia do Norte deve "mudar de rumo e avançar para o caminho da desnuclearização com um diálogo sincero" com a comunidade internacional.

Internacional