Programa de repatriação da Argentina recupera US$ 90 bilhões

Buenos Aires, 27 dez (EFE).- O programa de repatriação de capitais promovido pelo presidente da Argentina, Mauricio Macri, e aprovado pelo Congresso recuperou US$ 90 bilhões até a segunda-feira, disse nesta terça-feira o ministro de Fazenda e Finanças Públicas do país, Alfonso Prat-Gay, em sua última entrevista coletiva no cargo.

"É a última marca dessa etapa de ordenamento da desordenada economia que recebemos", disse o ministro em referência à situação herdade do governo da ex-presidente Cristina Kirchner.

Prat-Gay informou que os valores recuperados até agora são provisórios e devem crescer até o fim do ano. Em multas, o governo da Argentina recebeu US$ 5,27 bilhões, segundo o ministro, citando que houve 237 mil novas declarações de renda.

O ministro concedeu a entrevista ao lado de Alberto Abade, diretor da Administração Federal de Receita Pública (Afip).

As declarações correm pouco depois de o governo ter anunciado a saída de Prat-Gay do cargo. Macri vai dividir o ministério em dois e decidiu pedir a renúncia do então titular das Finanças.

Prat-Gay disse estar feliz ao anunciar o "extraordinário sucesso" do programa de repatriação aprovado pelo Congresso em julho, com o objetivo de recuperar vários milhões de dólares não declarados.

Com o dinheiro recuperado, o governo pagará uma reforma no sistema de aposentadorias, como ficou estabelecido na lei que oficializou o programa de repatriação.

Para "limpar" os bens não declarados, os argentinos tiveram que apresentar declarações juradas e abrir contas bancárias no país para depositar o dinheiro que estava no exterior.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos