Conselho de Segurança da ONU ameaça tomar medidas contra a Coreia do Norte

EFE

  • KCNA/Handout via Reuters

    Imagem de um míssil sendo disparado na Coreia do Norte. A foto foi divulgada pela Agência Norte-Coreana de Notícias e pode ser do míssil lançado em teste no dia 12 de fevereiro

    Imagem de um míssil sendo disparado na Coreia do Norte. A foto foi divulgada pela Agência Norte-Coreana de Notícias e pode ser do míssil lançado em teste no dia 12 de fevereiro

O Conselho de Segurança da ONU condenou nesta segunda-feira (13) de forma unânime o lançamento de um míssil de médio alcance pela Coreia do Norte e ameaçou impor novas "medidas significativas" contra o país.

Em comunicado elaborado pelos 15 membros, o Conselho afirmou que o teste norte-coreano representa uma "grave violação" das obrigações internacionais do país, e urgiu o fim deste tipo de ação.

Embora o texto não detalhe que medidas são cogitadas como resposta, a linguagem utilizada é a que em outras ocasiões antecedeu à imposição de sanções contra Pyongyang.

Desde que em 2006 a Coreia do Norte realizou seu primeiro teste nuclear, o Conselho de Segurança impôs ao país vários pacotes de sanções, as mais duras no ano passado, mas o país continuou regularmente com suas provocações.

O míssil balístico de médio alcance lançado neste domingo ao Mar do Japão é o primeiro teste deste tipo que o regime realiza desde outubro do ano passado e, portanto, o primeiro desde que Donald Trump chegou à Casa Branca.

O comunicado de resposta do Conselho de Segurança foi pactuado hoje antes do início de uma reunião dos 15 embaixadores para abordar a questão, segundo fontes diplomáticas, e tornado público pouco depois pela delegação sueca.

No texto, o Conselho "deplora" todas as atividades com mísseis balísticos por parte da Coreia do Norte e lembra que contribuem ao desenvolvimento de sistemas capazes de transportar armas nucleares, ao mesmo tempo em que "aumentam a tensão".

Além disso, o Conselho lamenta que Pyongyang siga dedicando recursos a seus programas militares enquanto os cidadãos do país têm muitas necessidades que não são atendidas.

O principal órgão de decisão da ONU urgiu também que todos os Estados-membros "redobrem seus esforços" para aplicar totalmente as sanções em vigor contra a Coreia do Norte, ao mesmo tempo em que reiterou seu desejo de conseguir uma solução dialogada aos problemas na península coreana.

Horas antes, o secretário-geral da ONU, António Guterres, já tinha condenado o teste e pedido às autoridades norte-coreanas que respeitassem suas obrigações internacionais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos