Trump lamenta morte do embaixador russo na ONU, um "diplomata consumado"

Washington, 21 fev (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, expressou nesta terça-feira suas condolências ao governo e ao povo russo pela morte de seu embaixador na ONU, Vitaly Churkin, a quem definiu como um "diplomata consumado" com o qual Washington pôde trabalhar em muitos temas para "potencializar a segurança global".

"O presidente Donald J. Trump se entristeceu ao informar-se da morte inesperada do representante permanente da Rússia nas Nações Unidas, Vitaly Churkin, um diplomata consumado que trabalhou com seus colegas americanos em Nova York durante mais de uma década", afirmou a Casa Branca em comunicado.

Churkin, que hoje teria completado 65 anos, sofreu nesta segunda-feira um ataque cardíaco no escritório da missão russa nas Nações Unidas e foi transferido a um hospital de Nova York, onde os esforços para reanimá-lo foram inúteis.

"Embora os funcionários americanos estivessem frequentemente em desacordo com seus colegas russos (na ONU), o embaixador Churkin desempenhou um papel crucial na hora de trabalhar com os Estados Unidos em uma série de assuntos-chave para potencializar a segurança global", indicou a nota da Casa Branca.

Elogiado por muitos e admirado até por seus mais tenazes adversários, Churkin era uma das figuras mais destacadas na ONU, especialmente dentro do Conselho de Segurança, onde seus discursos e debates com diplomatas americanos e de outros países eram frequentes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos