UE amplia por mais um ano sanções contra regime sírio

Bruxelas, 29 mai (EFE).- O Conselho da União Europeia (UE) acordou nesta segunda-feira estender por mais um ano, até 1 de junho de 2018, as sanções impostas ao regime sírio de acordo com sua política de manter essas medidas restritivas até que o Governo de Bashar Al-Assad deixe de reprimir civis.

Ao mesmo tempo, o Conselho acordou acrescentar na lista de sancionados três ministros de Assad e atualizou a informação relacionada com certas pessoas e entidades, indicou em um comunicado a instituição na qual estão representados os 28 países da UE.

No total, a "lista negra" inclui 240 pessoas e 67 entidades que estão proibidas de viajar a território comunitário e cujos ativos foram congelados na UE, em resposta à violenta "repressão contra a população civil" na Síria.

As sanções da UE contra a Síria compreende um embargo de petróleo, restrições a certos investimentos, congelamento de ativos do Banco Central sírio na UE e restrições às exportações de equipamentos e tecnologia que poderiam ser utilizados para repressão interna ou para controlar ou interceptar internet ou comunicações telefônicas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos