PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Merkel condena violência gerada por manifestantes "não democráticos" no G20

08/07/2017 12h21

Hamburgo, 8 jul (EFE).- A chanceler alemã, Angela Merkel, expressou neste sábado sua "mais severa condenação" para a "violência gerada" contra a Cúpula do G20 e advertiu que quem a comete está "fora da comunidade democrática".

Merkel anunciou que serão estudadas fórmulas para "ajudar" rapidamente os cidadãos que sofreram as consequências dessa violência "cega" e garantiu que o esquema de segurança preparado para proteger cúpula tinha sido "cuidadosamente preparado".

A chanceler agradeceu às forças policiais pelo trabalho realizado para "garantir o direito à manifestação pacífica" e, ao mesmo tempo, proteger devidamente o discorrer da cúpula das 20 potências desenvolvidas e países emergentes.

Os próprios convidados internacionais "foram conscientes" desses protestos violentos, respondeu a chanceler à imprensa ao ser perguntada sobre como os líderes tinham se sentido, mas disse que "agradeceram", como ela mesma, pelo grande trabalho das forças de segurança.

Cerca de 200 agentes ficaram feridos nas duas noites consecutivas de distúrbios violentos registrados em vários pontos da cidade. Especialmente grave foi a situação da madrugada passada na região de Schanzenviertel, nas imediações de uma casa ocupada pelo coletivo antissistema "Rote Flora", onde 1,5 mil manifestantes participaram de atos de violência, atacaram os agentes policiais com barras de ferro e saquearam lojas.

Para Merkel, quem pratica tal "forma de violência cega, inclusive para o seu entorno", não pode se considerare parte de uma sociedade democrática.

Internacional