PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Macron diz que Arábia Saudita e Catar financiaram grupos terroristas

31/08/2017 10h51

Paris, 31 ago (EFE).- O presidente da França, Emmanuel Macron, considera que a Arábia Saudita e o Catar financiaram grupos terroristas e que estabeleceu um diálogo "franco" com as potências do Golfo Pérsico, que inclui precisamente a questão do financiamento do terrorismo.

"A prioridade da política internacional deve ser nossa segurança. Não podemos ter uma política comercial ou diplomática que não leve em conta esta segurança", explica Macron em uma ampla entrevista publicada nesta quinta-feira pela revista "Le Point".

Por isso, o presidente aponta que estabeleceu "relações de extrema franqueza com o conjunto de potências do Golfo" e abordou "a questão do financiamento do terrorismo", já que "Catar e Arábia Saudita financiaram grupos que não eram os mesmos, mas que de fato contribuíram para o terrorismo".

Também sobre a ação internacional contra o terrorismo, Macron explica que o Iraque e a Síria têm "um desafio que será cada vez menos militar, mas é preciso ir até final com esta missão, para que seja cada vez mais política" a fim de "ganhar a paz".

"Se não conseguirmos encontrar soluções políticas inclusivas nesta região, construiremos as condições para que o terrorismo ressurja sem fim", acrescenta.

Para Macron, a ambição de sua política exterior é que "a França volte a ser uma grande potência", uma "necessidade" no contexto atual do mundo, entre outras coisas, pela atitude dos Estados Unidos de questionar as estruturas multilaterais criadas após a Segunda Guerra Mundial.

"A França deve permitir que a Europa se torne líder do mundo livre", já que, "enquanto europeus, nos corresponde particularmente defender os bens comuns do mundo livre, que são a democracia, a paz, o clima".

Internacional