Líder catalão critica "violência injustificada" do governo espanhol

Em Girona

  • Governo Catalão/via Reuters

    Presidente da Catalunha, Carles Puigdemont, vota em Cornella de Terri, na província de Girona

    Presidente da Catalunha, Carles Puigdemont, vota em Cornella de Terri, na província de Girona

O presidente do governo regional da Catalunha, Carles Puigdemont, criticou neste domingo (1º) o que considera o "uso injustificado, irracional e irresponsável da violência" pelo Executivo espanhol e se mostrou convencido que o desejo de votar pacificamente não será impedido.

Puigdemont falou após votar no referendo de independência que ele mesmo convocou e que foi suspenso pelo Tribunal Constitucional da Espanha.

O líder catalão, que teve de comparecer a outro centro de votação porque o seu estava ocupado pela polícia e pela Guarda Civil, mencionou os incidentes ocorridos em vários pontos da região, com confrontos entre agentes e cidadãos que queriam votar.

Os agentes interferiram no processo por ordem judicial para requisitar urnas e cédulas destinadas à consulta e se depararam com a resistência de pessoas que ocupavam os centros e impediam a entrada dos policiais.

Para Puigdemont, essas imagens "envergonharão para sempre" o Estado espanhol e "não deterão o desejo dos catalães de poderem votar pacífica e democraticamente".

As autoridades de saúde catalãs asseguraram que nos incidentes em centros de votação da região foram registrados 38 feridos, nenhum em estado grave. Os casos mais comuns são de pessoas com enjoo, crise de ansiedade e contusões.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos