PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Cartes pede ao Brasil que veja Paraguai como um país de oportunidades

20/12/2017 16h29

São Paulo, 20 dez (EFE).- Na opinião do presidente do Paraguai, Horacio Cartes, o Brasil precisa olhar para o vizinho como um país de oportunidades, e não apenas como um destino para o comércio, disse o governante nesta quinta-feira, após uma reunião em São Paulo na qual expôs possibilidades de investimento a empresários brasileiros.

"Eu gostaria que o Brasil visse o Paraguai mais como um país de oportunidades", declarou o presidente paraguaio à imprensa após a reunião com integrantes da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

O líder paraguaio garantiu que a sua intenção no encontro não foi oferecer produtos paraguaios aos empresários brasileiros, mas mostrar oportunidades de negócios que podem inclusive transformar o Brasil em um país mais competitivo.

O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, destacou as vantagens competitivas que o Paraguai pode oferecer aos investidores brasileiros, ao citar tanto o baixo custo da energia, uma vez que o país exporta grandes excedentes de eletricidade, como a pouca burocracia.

Cartes afirmou que o encontro serviu para discutir com os empresários brasileiros formas de aumentar a competitividade de ambos os países, o que se torna necessário diante da eventual entrada em vigor do acordo de livre-comércio atualmente negociado entre Mercosul e União Europeia (UE).

"A Europa é um céu aberto, mas, enquanto não formos competitivos, seremos apenas turistas. Temos todas as oportunidades (com o acordo de livre-comércio), especialmente o Brasil, mas temos que ser competitivos", disse o governante paraguaio.

"Vou embora deste encontro satisfeito porque não achava, pelo grande tamanho do Brasil, que fosse possível que pensássemos juntos nisso. Porque o grande desafio é pensarmos juntos. Não tenho nada para comprar nem para vender, mas somos obrigados a pensar juntos sobre como ser mais competitivos. Não tenho dúvidas que o Paraguai é uma peça importante para que o Brasil seja mais competitivo", acrescentou.

Cartes pediu para que o Brasil lidere o processo de recuperação da economia regional: "Além de ser o maior país do continente, o Brasil tem que liderar na região", disse, após destacar a grande afinidade entre os dois países do Mercosul.

O governante paraguaio desembarcou nesta quarta-feira em São Paulo e na quinta-feira participará em Brasília da Cúpula do Mercosul, na qual o Paraguai receberá do Brasil a presidência temporária do bloco.

O presidente da Fiesp também destacou a afinidade atual de ambos os países e disse que se trata de uma conjuntura que precisa ser aproveitada para incrementar ainda mais as boas relações entre Brasil e Paraguai.

"Na realidade, estamos em um momento bastante especial no qual podemos incrementar ainda mais as relações que já são boas entre os nossos países. Temos muitas sinergias que precisam ser aproveitadas, e não somente na área comercial", disse Skaf após homenagear Cartes com a entrega da Ordem do Mérito Industrial de São Paulo.

Após os seus compromissos em São Paulo, Cartes viajou para Goiânia, onde na noite desta quarta-feira se reunirá com responsáveis pela indústria da região e com o governador Marconi Perillo.

Internacional