Timor convoca eleições antecipadas para tentar resolver crise política

Bangcoc, 26 jan (EFE).- O presidente do Timor Leste, Francisco "Lu Olo" Guterres, anunciou nesta sexta-feira a dissolução do parlamento e a convocação de eleições para resolver o bloqueio politico que atravessa o país desde as eleições do ano passado.

O governante indicou que anunciaria mais adiante a data para a realização das eleições.

A decisão foi tomada diante da incapacidade do governo de Mari Alkatiri, da Frente Revolucionária do Timor Leste Independente (Fretilin), de aprovar o orçamento no parlamento onde se encontra em minoria.

Guterres, também da Fretilin, disse que a falta de um claro vencedor nas eleições de julho do ano passado foi um convite aos líderes políticos para dialogar e chegar a um consenso, mas lamentou que estes, por outro lado, tenham virado as costas para ele.

O chefe de Estado timorense classificou a situação como uma "grave crise institucional" e pediu a unidade da nova república, que conseguiu sua independência da Indonésia em 2002.

"Estou convencido de que as pessoas deveriam ser convocadas para votar mais uma vez para ajudar a superar o desafio que a nossa jovem democracia enfrenta", disse Guterres.

A Fretilin, partido que começou como movimento de resistência à ocupação da Indonésia, obteve 23 dos 65 cadeiras do Parlamento como a força mais votada nas últimas eleições.

Atrás ficou o Congresso Nacional para a Reconstrução do Timor Leste (CNRT), do histórico líder guerrilheiro Xanana Gusmão, com 22 cadeiras, e que até as eleições governou como força maioritária em coalizão com a Fretilin.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos