PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Evo Morales vê "ingerência" dos EUA em pedido de prisão para Rafael Correa

04/07/2018 11h21

La Paz, 4 jul (EFE).- O presidente da Bolívia, Evo Morales, rejeitou nas últimas horas a ordem de prisão preventiva contra o ex-mandatário equatoriano Rafael Correa e denunciou uma suposta "ingerência" dos Estados Unidos nesse pedido.

"Rejeitamos a solicitação da Procuradoria Geral do Equador de prisão preventiva contra o ex-presidente desse país, Hno. @MashiRafael", escreveu o líder no Twitter.

Morales também denunciou uma suposta "politização da justiça equatoriana e ingerência dos EUA", no que considerou uma tentativa para "encarcerar um inocente".

O líder boliviano encerrou a mensagem com um "estamos com você Hno. Correa. Venceremos!".

O chefe de Estado boliviano publicou o texto desde uma clínica em La Paz, onde foi internado ontem para a realização de exames de rotina, o que o manterá parcialmente afastado de seu ritmo cotidiano de trabalho, segundo informação oficial.

A Procuradoria Geral do Equador solicitou na terça-feira prisão preventiva contra Correa, por suposto vínculo em um caso sobre uma tentativa de sequestro na Colômbia de um ex-legislador equatoriano em 2012.

Correa, que vive na Bélgica há um ano, se apresentou no Consulado do Equador no país europeu, como suposto cumprimento da medida cautelar que tinha sido imposta após sua vinculação penal ao caso em 18 de junho.

O ex-governante equatoriano rejeita qualquer participação, assegura que não existem provas sobre o suposto envolvimento pessoal nos fatos e denuncia que é alvo de uma perseguição política e midiática.

Internacional