PUBLICIDADE
Topo

Rebeldes dizem que mataram 45 soldados sudaneses em confrontos em Darfur

06/07/2018 13h16

Cartum, 6 jul (EFE).- O rebelde Movimento para a Libertação do Sudão (MLS), liderado por Abdeluahed Mohammed Noor, afirmou nesta sexta-feira que seus combatentes mataram 45 soldados do Exército governamental em confrontos na região dos montes Marra, na conflituosa província de Darfur.

Em comunicado, o porta-voz militar do MLS, Walid Mohammed Abker, disse que seus homens abateram 45 membros das Forças de Resposta Rápida e só um rebelde morreu nos combates que começaram ontem e que continuam.

"Os confrontos acontecem nas regiões do hotel Badia e Qalul, situadas no oeste da região montanhosa de Marra, cenário de ataques esporádicos nas últimas semanas", detalhou Abker.

O porta-voz do MLA acrescentou que os rebeldes confiscaram armas e munição durante os confrontos, em consequência dos quais vários civis morreram e outros ficaram feridos, embora não tenha detalhado o número de vítimas.

Recentemente, os países da troika (Reino Unido, Estados Unidos e Noruega) denunciaram que o Governo do Sudão impediu o acesso aos "boinas azuis" e outros soldados aos montes Marra e advertiram que a violência na região causou a morte e ferimentos a um "elevado número de civis" e o deslocamento de perto de 9.000 pessoas.

No dia 3 de maio passado, os dois principais grupos rebeldes de Darfur, o Movimento de Justiça e Igualdade (MJI) e o MLS, anunciaram um cessar-fogo unilateral durante seis meses.

O conflito de Darfur começou quando esses grupos insurgentes pegaram em armas no início de 2003 contra o regime de Cartum, em protesto contra a pobreza e a marginalização sofrida pelos moradores desta região.

Desde então, a guerra causou mais de 300 mil mortos e forçou 2,7 milhões de pessoas a deixar suas comunidades de origem, segundo a ONU.