PUBLICIDADE
Topo

Editor de tabloide ganha imunidade por colaborar em caso contra Trump e Cohen

23/08/2018 16h38

Nova York, 23 ago (EFE).- Executivo-chefe da empresa proprietária do tabloide "National Enquirer", David Pecker fechou um acordo de colaboração com a Justiça e ganhará imunidade em troca de contribuir com as autoridades na investigação sobre os pagamentos feitos pelo advogado Michael Cohen a duas mulheres que teriam tido relações extraconjugais com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Pecker é amigo pessoal de Trump e participou da negociação desses pagamentos. Segundo fontes citadas pelo "The Wall Street Journal", o executivo-chefe do grupo American Media se reuniu com os promotores e compartilhou com eles detalhes da operação, fazendo afirmações que indicavam que o presidente americano sabia o que estava ocorrendo.

Em troca da colaboração, Pecker obteve imunidade, de acordo com informações divulgadas pelo "Journal" e pela revista "Vanity Fair".

As declarações de Pecker foram utilizadas pelas autoridades para acusar Cohen de ter violado as normas de financiamento a campanhas eleitorais, já que os pagamentos foram feitos para evitar que as duas mulheres revelassem histórias que prejudicariam Trump.

O ex-advogado do agora presidente confessou os crimes na última terça-feira após firmar acordo com os promotores. Cohen, além disso, disse em uma audiência em uma corte de Manhattan que atuou "sob a ordem do candidato", ou seja, de Trump.

Segundo os promotores, executivos do American Media estiveram envolvidos nas negociações tanto para pagar pelo silêncio da atriz pornô Stormy Daniels e da ex-modelo da Playboy Karen McDougal.

Daniels recebeu US$ 130 mil pouco antes das eleições para não falar publicamente da relação com Trump. Já McDougal vendeu por US$ 150 mil à American Media a exclusividade de contar a história de seu romance com o hoje presidente. A empresa, porém, agiu a pedido de Trump e nunca publicou nenhuma matéria sobre o assunto.

Trump negou ter cometido qualquer crime e atacou Cohen, acusando seu ex-advogado de ter inventado mentiras para firmar um pacto com os promotores.